Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais sobre mundo digital, tecnologia e empreendedorismo.

Nosso destaque é o esforço do Facebook para amenizar o efeito “bolha” na plataforma.

Facebook testa mudança para amenizar ‘efeito bolha’ na plataforma

O Facebook anunciou o início dos testes com a ferramenta Related Articles (artigos relacionados), que passa a sugerir outros conteúdos e pontos de vista diferentes aos usuários da plataforma social.

Segundo Sara Su, gerente de produtor do Feed de Notícias, em post, o objetivo é “dar às pessoas uma forma de ver um quadro mais completo de uma história ou de um assunto”, com “perspectivas adicionais”.

Por exemplo, cita ela, “quando muita gente estiver discutindo um artigo sobre um novo avanço médico, podemos mostrar alguns outros artigos, abaixo dele, de veículos diferentes sobre o mesmo assunto médico”.

Su não menciona, mas o teste visa amenizar parte do chamado “efeito bolha” do Facebook, que limita os usuários às informações compartilhadas com aqueles que pensam como ele ou têm acesso às mesmas informações

eBook gratuito recomendado: Finanças Pessoais para Mulheres

Fundador da Wikipédia lança site colaborativo contra notícias falsas

O fundador da enciclopédia on-line Wikipédia, Jimmy Wales, lançou um site com o objetivo de conter a difusão de notícias falsas, reunindo jornalistas profissionais e uma comunidade de voluntários para produzir reportagens.

A nova plataforma, chamada de Wikitribune, terá acesso gratuito e nenhuma propaganda, e dependerá de seus leitores para financiamento, e a veracidade das reportagens será facilmente verificada porque o material usado como fonte será publicado, disse Wales.

“O jornalismo está quebrado, mas nós descobrimos como consertá-lo”, afirmou Wales em um vídeo promocional publicado na página inicial do site.

eBook gratuito recomendado: Educação Financeira no Ambiente de Trabalho

Apple ameaçou excluir Uber da loja de apps após detectar fraude

Travis Kalanick, presidente-executivo da Uber, foi à sede da Apple no começo de 2015 para uma reunião com Tim Cook, que comanda a fabricante do iPhone. Era uma conversa que Kalanick temia.

Meses antes, Kalanick havia aprontado com a Apple ao instruir seu pessoal a camuflar o app de serviço de carros para evitar sua análise por engenheiros da Apple. O motivo? Para que a Apple não descobrisse que o Uber estava usando tags para identificar aparelhos mesmo depois que o seu app tivesse sido apagado deles, e até mesmo depois que a memória do smartphone tivesse sido apagada —uma manobra de detecção de fraudes que viola as normas de privacidade da Apple.

Mas a Apple havia descoberto a trapaça e quando Kalanick chegou para a reunião, usando seu par favorito de tênis vermelhos, acompanhados por meias rosa choque, Cook estava preparado.

“Ouvi dizer que vocês estão violando algumas das nossas regras”, disse Cook, em seu tom calmo, com inflexões sulistas. Cook em seguida exigiu que a Uber parasse com a trapaça, ou seu app seria excluído da App Store.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários