Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais sobre mundo digital, tecnologia e empreendedorismo.

Nosso destaque  são os lançamentos  preparados pela Apple para o dia 12 de setembro.

Apple vai anunciar novo iPhone no dia 12 de setembro

O novo iPhone já tem data para chegar: 12 de setembro. A Apple enviou à imprensa americana convites para um evento em sua sede na Califórnia, na cidade de Cupertino. Tradicionalmente, a empresa americana anuncia a nova versão do iPhone na primeira quinzena de setembro e parece que desta vez não será diferente.

Os convites para o evento do iPhone também costumam dar pistas sobre como serão os anúncios. Desta vez, um círculo em bronze e a expressão “Gather round” (Vamos nos juntar, em uma tradução literal) são o destaque, em uma menção ao Apple Park, campus que agora é a sede da empresa. O evento deve começar às 14h (horário de Brasília) e o Link fará a cobertura completa.

Nas últimas semanas, diversos rumores têm sugerido como serão os novos modelos de iPhone. Até agora, o mais provável é que a Apple anuncie três versões diferentes do aparelho – todas com “tela infinita”, quase sem bordas, como as do iPhone X. Dois dos dispositivos terão telas de OLED e poderão ter duas entradas para chips SIM – um deles, o mais caro, terá tela de 6,5 polegadas; já o menor terpa 5,8 polegadas.

No entanto, o lançamento mais significativo da Apple deve ser a versão mais barata de iPhone deste ano, até o momento nomeada como N84. Segundo as fontes, ela terá tela de LCD de 6,1 polegadas e seu corpo será feito em alumínio, para baratear a produção. Haverá versões em várias cores e a meta é atingir mercados emergentes ou usuários que não costumam conseguir pagar pelos aparelhos da empresa.

A tática não é nova: em 2013, a Apple lançou o iPhone 5C, com diversas cores e a meta de atingir mercados como China e Brasil, mas o celular não trouxe resultados significativos para a empresa – nesses países, os usuários preferiram comprar aparelhos mais caros da Apple ou ainda migraram para outras marcas, com configurações mais robustas pelo mesmo preço do iPhone 5C.

Todos os três iPhones, porém, terão algumas das características do iPhone X – é o caso do sistema de reconhecimento de gestos, implementado para substituir o botão Home. Além disso, haverá o Face ID, no qual os usuários poderão desbloquear o celular apenas ao olhar parra eles. Ainda há indefinição, porém, sobre como a empresa pretende nomear os três aparelhos.

Além dos três modelos de iPhone, também espera-se que a empresa apresente novas versões do seu relógio inteligente, o Apple Watch, para a linha de computadores MacBook e possivelmente modelos diferentes da linha de tablets iPad Pro.

Startup de entregas Rappi é avaliada em US$ 1 bilhão e vira unicórnio

A startup colombiana de entregas Rappi confirmou que alcançou a marca de US$ 1 bilhão em valor de mercado, tornando-se o mais novo unicórnio latino-americano. A empresa, fundada em 2015 na cidade de Bogotá, alcançou o valor depois de receber uma nova rodada de investimentos, sem valores divulgados.

A confirmação acontece horas depois que o portal norte-americano Axios publicou nota sobre a empresa: segundo o site, citando fontes próximas ao assunto, a Rappi recebeu US$ 200 milhões, em aportes liderados pelo fundo DST Global, que também já apostou na brasileira Nubank.  Além disso, fundos americanos de renome, como o Sequoia Capital e o Andressen Horowitz, também participaram da rodada.

A marca de US$ 1 bilhão em avaliação de mercado coloca a Rappi em um seleto clube da região, que hoje tem a presença das argentinas Mercado Livre, Decolar.com e Patagon, bem como das brasileiras 99, Nubank e PagSeguro.

Fundada em 2015, a Rappi já levantou US$ 192 milhões em investimentos, segundo dados do portal americano Crunchbase. Além do Brasil e da Colômbia, também atua na Argentina, no México e no Chile. Por aqui, a empresa está há um ano no mercado, atuando em 10 cidades diferentes. Até o final do ano, a empresa pretende chegar a 15 cidades brasileiras e começar a atuar no Peru e no Uruguai.

Por meio de seu aplicativo, é possível fazer pedidos de itens de supermercado, restaurantes, além de entregas avulsas, que são feitos por motoristas, motoboys ou até mesmo entregadores de bicicleta.

A empresa fatura cobrando um percentual pelo valor dos pedidos feitos dentro de sua plataforma – no caso de restaurantes, por exemplo, essa fatia varia entre 25% e 30%. Em uma conta de R$ 100, a fatia equivaleria a R$ 25, por exemplo. Já os entregadores, por sua vez, recebem o valor integral da taxa cobrada pelas entregas. Entre os parceiros da empresa, estão marcas como Pão de Açúcar, Droga Raia e Nestlé.

Itaú e PayPal fazem parceria em comércio eletrônico

Itaú, Rede e Paypal anunciaram nesta quarta (29) uma parceria no segmento de comércio eletrônico. Pelo acordo, o cliente Itaú que ainda não tem uma conta no Paypal terá esse acesso facilitado.

Em vez de preencher um cadastro, se ele desejar aderir ao PayPal, esses dados serão preenchidos automaticamente, a partir dos dados que ele já informou como cliente ao Itaú. O papel da Rede nesse acordo será aumentar a quantidade de seus clientes varejistas eletrônicos que aceitam o meio de pagamento PayPal.

Marcelo Kopel, diretor-executivo do Itaú Unibanco, afirmou que a parceria traz uma solução que amplia as possibilidades que os clientes do banco têm de usar meios de pagamento na internet com alguém que já tem credibilidade e tecnologia para tanto.

“O fato é que isso torna a vida dos nossos clientes muito mais simples para transações de ecommerce”, afirmou Kopel. O Itaú, segundo ele, optou pela parceria e não pelo desenvolvimento de um sistema próprio, por conta do histórico de reconhecimento que o PayPal já tem no mercado. ” Vamos ampliar o leque de opções para nossos clientes”, disse.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários