Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais sobre mundo digital, tecnologia e empreendedorismo.

Nosso destaque é a notícia de que o Facebook considera a hipótese de criar sua própria criptomoeda

Facebook estaria considerando criar sua própria criptomoeda

Às vezes, as coisas acontecem muito rapidamente em nossas vidas. Na terça-feira, surgiu a notícia de que o Facebook havia formado uma divisão de blockchain. Agora, o papo é de que a empresa está estudando criar sua própria criptomoeda.

O Cheddar noticiou nesta sexta-feira (11) que o Facebook está supostamente “explorando” incorporar uma criptomoeda em sua plataforma, de olho em transações de pagamentos. Vale apontar, no entanto, que a reportagem foi um pouco vaga sobre mais detalhes ou planos concretos sobre o que a rede social pode querer fazer com a tecnologia a que todas as empresas querem virar sua atenção.

Procurado, um porta-voz do Facebook não negou que a empresa estivesse estudando a possibilidade de criar sua própria criptomoeda, mas enfatizou que seus esforços nessa área ainda estão nos estágios iniciais.

“Como muitas outras empresas, o Facebook está explorando maneiras de alavancar o poder da tecnologia blockchain”, disse o porta-voz por email. “Essa pequena nova equipe estará explorando várias aplicações diferentes. Não temos mais nada para compartilhar.”

A falta de detalhes certamente não vai segurar as especulações sobre o que a empresa pode querer fazer nesse espaço e, potencialmente, pode apenas jogar mais lenha na fogueira: as ZuckerCoins vão chegar à sua carreira do Facebook em breve? O que uma empresa com mais de dois bilhões de usuários faria com uma moeda descentralizada? Teremos WhatsAppCoins? InstaCoins? Qual seria a interface para gastar dinheiro enquanto navega pelos stories? Saberemos alguma coisa mais sobre seus planos em um futuro próximo? Provavelmente não.

Uber mostra detalhes do conceito de carro voador pela primeira vez

O Uber, empresa de aplicativo de transporte compartilhado, aproveitou a sua segunda conferência anual realizada nessa terça-feira, 8, em Los Angeles, para dar mais detalhes sobre o UberAir, sistema de transporte via carro voador que está desenvolvendo em parceria com a Nasa e Embraer, inspirado nos veículos dos desenho animado da década de 60, Os Jetsons.

Ao contrário do desenho, o conceito é uma mistura de helicóptero, avião e drone. Ele é mais comprido que os principais modelos de helicópteros atuais e foi desenhado para gastar três vezes menos energia para se locomover, voando a uma altura de entre 1 mil e 2 mil pés (entre 300 metros e 600 metros acima do solo). Dentro dele, passageiros vão compartilhar viagens com desconhecidos, num modelo semelhante ao que acontece com o UberPool.

A novidade é uma tentativa do Uber para sair na frente de uma tecnologia do futuro. “Nós não sabemos exatamente quando isso [procura das pessoas por carros aéreos] vai começar. Mas sabemos que vai acontecer”, disse Eric Allison, diretor do programa de aviação do Uber.

Para pedir um UberAir, será preciso apenas abrir o aplicativo do celular e requisitá-lo. Ao lado de opções já conhecidas, como UberX e UberPool, aparecerá a opção de pedir uma aeronave. Ao contrário dos outros modelos, no entanto, o cliente precisará ir até um dos Skyports, uma espécie de heliporto construída pelo Uber em cima de prédios e estacionamentos que terá, em média, 200 decolagens e aterrissagens por hora.

Elon Musk vai, em breve, oferecer passeios gratuitos em seu túnel subterrâneo em Los Angeles

A Boring Company, do Elon Musk, tem estado ocupada, cavando um túnel gigante sob Los Angeles, que está supostamente quase pronto para alguns passageiros humanos. Musk anunciou na quinta-feira (10) que a empresa “vai oferecer passeios gratuitos ao público em alguns meses”. Isso se conseguirem a aprovação governamental, é claro.

Musk também apontou em um post de Instagram, que você vê abaixo, que o sistema de transporte subterrâneo, uma vez finalizado, “sempre dará prioridade a pods para pedestres e ciclistas por custo menor do que o de uma passagem de ônibus”. O túnel de Los Angeles se estende por apenas 4,34 km — é uma prova de processo —, mas Musk tem grandes ideias para o futuro do transporte subterrâneo.

Musk afirmou que quer construir uma rede de túneis abaixo da cidade para “resolver o problema do trânsito destruidor de almas“. Uma missão nobre. Acima do solo, os carros dirigiriam sobre dispositivos semelhantes a trenós elétricos que então desceriam ao subsolo e percorreriam os túneis a mais de 190 km/h.

Os passeios gratuitos que Musk anunciou nesta semana seriam uma versão em menor escala desse sonho. Um sonho que, vale apontar, pode muito bem ser uma incrível ilusão. Essa visão está repleta de obstáculos regulatórios e irremediavelmente complicada. E se você estiver hesitante em mergulhar no túnel de Los Angeles de Musk, talvez confie só nos seus instintos. Ainda no ano passado eles haviam dito que “não tinham ideia” do que estavam fazendo.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários