Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais sobre mundo digital, tecnologia e empreendedorismo.

Nosso destaque é a pequena fortuna que custará o iPhone X no Brasil.

iPhone X chega ao Brasil no dia 8 de dezembro por R$ 7.000

O iPhone X, novo modelo de celular da Apple, será lançado no Brasil no dia 8 de dezembro, anunciou a empresa nesta sexta-feira (17).

No Brasil, o modelo mais em conta, com 64 GB de armazenamento, custará R$ 6.999. Já o modelo com 256 GB de capacidade custará R$ 7.799.

O valor é mais que o dobro que o preço nos Estados Unidos, onde o celular é vendido por US$ 1 mil, cerca de R$ 3.270 na cotação desta sexta.

O aparelho possui uma estrutura de vidro que o protege contra água e poeira, tela Oled de 5,8 polegadas e será recarregado sem fio.

Uma das novas funcionalidades do sistema será o reconhecimento facial, usada para desbloquear a tela do aparelho.

Relatório grátis: É hora de comprar ações da Petrobras?

Apple supera rivais de tecnologia em rentabilidade

A Apple foi o grande destaque entre as cinco gigantes de tecnologia em rentabilidade no terceiro trimestre.

Segundo levantamento da Economatica, com os dados comparativos do trimestre de julho a setembro, a fabricante do iPhone liderou três de cinco indicadores de eficiência de negócios. Ela teve o maior lucro, o maior valor de mercado e a maior capacidade de ganho com a operação no período, quando comparada às outras quatro gigantes: Alphabet (Google), Facebook, Amazon e Microsoft.

Os fiéis consumidores do iPhone tiveram uma boa participação nisso. Eles seguem pagando um alto preço pelos aparelhos da marca, cuja margem de lucro engorda a cada novo lançamento.

A companhia é, de longe, a mais valiosa do mundo, com US$ 893 bilhões em valor de mercado (dados de terça, 14/11), seguida pelo Google, avaliado em US$ 718 bilhões –diferença que daria para comprar a Disney e ainda ficar com um troco.

eBook gratuito recomendado: Riqueza pessoal é possível

Amazon começa a vender itens de casa e cozinha no Brasil

A Amazon começou a vender nesta sexta-feira (17), produtos de casa e cozinha no Brasil. Maior empresa de comércio eletrônico do mundo, a varejista norte-americana dá um novo passo no País, a menos de uma semana da Black Friday. Há cerca de um mês, a empresa começou a vender por aqui eletroeletrônicos, telefones celulares e videogames, disputando espaço com empresas como Magazine Luiza, B2W e Extra.com.

Assim como nas vendas de eletroeletrônicos, os produtos de casa e cozinha serão vendidos por lojas terceiras – à Amazon, caberá apenas a parte de atendimento dos clientes. A empresa está há cinco anos no País, mas nos quatro primeiros, vendeu apenas livros (digitais e impressos) e o Kindle, seu leitor eletrônico.

Segundo a empresa, há mais de 90 mil produtos da nova categoria no site, com marcas como Mondial, Philco, Walita e iRobot. A ideia, por enquanto, é atuar no segmento de eletroportáteis, como liquidificadores, fritadeiras, aspiradores de pó, talheres e churrasqueiras.

Por enquanto, a empresa não venderá eletrodomésticos de maior porte, como geladeiras e fogões – segundo fontes do mercado, a empresa espera aprender com produtos menores antes de se arriscar nos desafios logísticos do País.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários