Chegamos a mais uma de nossas colunas semanais sobre mundo digital, tecnologia e empreendedorismo.

Nosso destaque é a notícia de que o Nubank liberou acesso a conta-corrente para todas as pessoas.

Nubank libera conta-corrente para cadastro de qualquer pessoa

A startup de serviços financeiros Nubank liberou o cadastro de qualquer pessoa para usar sua conta-corrente digital, a NuConta. O novo serviço, que estava em período de testes há seis meses, é usado por 1,5 milhão dos 4 milhões de clientes do cartão de crédito roxo oferecido pela empresa. A partir de agora, para ter a conta-corrente digital, não é necessário ter o cartão de crédito, já que o serviço não está mais em período de testes.

“Esse crescimento expressivo da NuConta mostra que, mais uma vez, estamos conseguindo resolver dores reais dos clientes, que sofriam pagando taxas desnecessárias e recebendo muito menos do que seu dinheiro poderia render”, afirmou o fundador e presidente executivo do Nubank, David Vélez, em comunicado distribuído à imprensa.

Anunciada em outubro do ano passado, a NuConta representa o primeiro passo do Nubank no sentido de oferecer uma cartela de serviços financeiros, de forma mais ampla, como um banco tradicional. Segundo apurou o Estado, a empresa também está estudando oferecer outros serviços, como empréstimos e investimentos, além de planejar serviços específicos para desbancarizados — pessoas que não têm acesso, hoje, a nenhum tipo de serviço financeiro.

A NuConta ainda está longe de ser uma conta bancária completa. Por ora, os correntistas conseguem transferir dinheiro para quem tem conta da empresa e também para outros bancos, por meio de TEDs gratuitos, além de pagar a fatura de seu cartão de crédito Nubank. A lista de funções que faltam é extensa: não há cartão de débito, não é possível depositar ou sacar dinheiro em um caixa eletrônico (os depósitos ocorrem por meio de boleto ou transferência de outros bancos).

Nos últimos meses, porém, a equipe da startup correu contra o tempo para adicionar recursos, como pagamento de boletos. O dinheiro depositado na NuConta também é aplicado em títulos de Tesouro Direto baseados na Selic, a taxa básica de juros da economia. O rendimento será repassado ao consumidor a uma taxa equivalente a 99% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário) — a diferença cobrirá os custos do serviço.

A empresa também integrou melhor a conta-corrente no aplicativo do Nubank, antes centrado na experiência do cartão de crédito. Agora, ao acessar o aplicativo, o usuário vê um resumo de sua fatura atual do cartão de crédito, um atalho para acessar a conta-corrente e o acesso ao programa de recompensas do cartão de crédito, o Rewards. Além disso, na base do app, as pessoas podem acessar diferentes opções do aplicativo relacionadas às funções dos três serviços oferecidos pela startup.

Usuários poderão avaliar propaganda no Facebook; Instagram terá compra no stories

O Facebook anunciou que permitirá ao usuário avaliar as empresas que anunciam na rede social e poderá banir aquelas que receberem muitos feedbacks negativo.

A medida visa reprimir as empresas cujos anúncios oferecem aos usuários produtos ou serviços de baixa qualidade ou empresas que não entregam os produtos nos prazos declarados.

Os usuários do Facebook podem deixar comentários para os anúncios exibidos na guia “atividade de anúncios”, disse a empresa em uma publicação no blog.

Os anunciantes terão a chance de melhorar antes de serem bloqueadas, o que pode incluir uma redução na quantidade de anúncios que determinada empresa pode executar.

“Acreditamos que essa ferramenta dará às pessoas mais confiança nos negócios com os quais elas interagem e ajudará a responsabilizar as empresas pelas experiências que oferecem aos clientes”, afirmou o Facebook.

Essa é uma das muitas mudanças da maior rede de mídia social do mundo para melhorar a experiência e engajamento do usuário depois do escândalo em que milhões de dados de usuários foram acessados ​​indevidamente por uma consultoria política.

Uber lança pagamento por meio de recarga pré-paga no Brasil

O Uber começou a permitir ontem que usuários brasileiros do aplicativo usem créditos pré-pagos para pagar pelas corridas no aplicativo. A lógica é a mesma do celular pré-pago: a pessoa vai até um dos 250 mil pontos de recarga, faz um pagamento entre R$ 25 e R$ 200 e a máquina gerará um código, que o usuário deve cadastrar no serviço.

O Brasil é o único País em que o Uber vai oferecer essa modalidade de pagamento por ora, se beneficiando da popularidade dos celulares pré-pagos – hoje, eles representam mais de 60% das linhas móveis ativas no Brasil, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A empresa americana tenta atrair pessoas que não têm cartão de crédito. De acordo com dados divulgados nesta semana pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), só 28% dos consumidores brasileiros fazem uso de cartões de crédito no País.

Ampliar as opções de pagamento se tornou mais importante para o Uber, à medida que a empresa acelerou sua expansão nas regiões metropolitanas das grandes cidades. “O Brasil é o segundo maior mercado para o Uber no mundo em número de corridas”, disse Barney Harford, diretor global de operações do Uber, em entrevista exclusiva ao Estado. “Queremos oferecer o maior número de opções de pagamento possível e os créditos permitem que as pessoas não precisem carregar dinheiro com elas.”

Estimulando as pessoas a manter o dinheiro dentro do aplicativo e não no bolso, o Uber também poderá resolver outro problema: a segurança. Em diversas conversas com a reportagem, motoristas que dirigem pelo aplicativo dizem sentir medo de circular com o dinheiro das corridas pelas ruas da cidade, onde estão sujeitos à assaltos.

Segundo o Uber, os créditos pré-pagos poderão ser usados tanto para pagar corridas no aplicativo de carona como para pagar por refeições encomendadas por meio do aplicativo de delivery de comida Uber Eats no País – hoje, o serviço é oferecido em apenas cinco cidades.

Para adicionar os créditos do Uber no celular, basta abrir o aplicativo, tocar em Menu, abrir a seção Pagamentos, depois Adicionar forma de pagamento e, então, Uber Pré-Pago. O aplicativo abrirá um campo para que o usuário possa digitar o código recebido no ponto de venda após o pagamento pelo valor desejado em créditos. Conforme o usuário utilizar o valor em corridas, o crédito disponível é abatido do total cadastrado no aplicativo.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários