Se você pudesse escolher, o que preferiria? Receber R$ 100 agora ou R$ 200 no próximo mês? Ganhar um desconto de 10% na próxima meia hora para algo que queira muito ou um desconto de 30% daqui a 15 dias?

Aguardar um bom aumento previsto para os próximos seis meses ou mudar de trabalho imediatamente porque não aguenta esperar? Há muitas questões importantes relacionadas ao tempo de espera, e a psicologia econômica trata bastante delas. Provavelmente, a forma como você responderia essas questões já permitiria deduzir algumas coisas sobre a sua maneira de lidar com as finanças e com a vida, sabia? Agora é hora de parar um pouco para avaliar como vem se comportando com relação a isso: Caro leitor, será que o tempo tem sido seu amigo ou inimigo? Você sabe o momento certo de agir ou de esperar, ou vem cometendo uma série de imprudências porque a palavra “espera” não existe em seu vocabulário? Preparado para uma reflexão?

Leia também:

Autoestima: sem ela você não vai alcançar o sucesso financeiro

Quanto tempo você já perdeu sentindo inveja do outro?

Pra chegar em qualquer destino você precisa dar o primeiro passo30

Às vezes é preciso dar tempo ao tempo

Você que acompanha o Dinheirama sabe que estamos sempre em movimento, e que geralmente dizemos que é preciso agir, ter coragem, aprender, mudar o rumo quando necessário e etc.

Eu pessoalmente acredito muito que o poder da maior parte das coisas está em nossas mãos. Porém, há momentos em que simplesmente estas mãos parecem ficar atadas, não é mesmo? As soluções não chegam da forma como gostaríamos, nada acontece no tempo que mentalmente planejamos, e aí é preciso agir de forma diferente, dando ao “Sr. Tempo” – aquele mesmo que tudo resolve – o seu poder de agir. E acima de tudo é preciso também aprender a controlar a ansiedade.

Neste artigo vamos refletir um pouco sobre o porquê de certas vezes na vida é preciso, como dizem, dar tempo ao tempo para que as coisas se resolvam da melhor maneira.

Quem sabe aguardar nos momentos necessários, normalmente tira grandes lições e diminui os riscos. Pena que parece ser tão complicado esperar, não é mesmo? Você já passou por situações assim?

Deixe a ansiedade de lado

É normal que nós, seres humanos, costumemos viver o tempo em sua forma passada ou futura. Estamos sempre relembrando o que passou, nos queixando ou reclamando ou, ainda, estamos sempre mirando o futuro, extremamente ansiosos pelo que ainda não veio. Esquecemos, porém, que a única atitude que será capaz de gerar mudanças é aquela que é tomada no momento presente. Seja a atitude de esperar pelo tempo certo das coisas ou de correr com tudo buscando resultados.

Mas pense bem: quantas vezes o excesso de ansiedade lhe fez agir de forma contrária ao que deveria? Quantas histórias teriam finais muito melhores se a ansiedade não pussesse tudo a perder? Outro dia um conhecido me falou: “Puxa vida, se eu tivesse tido a paciência de aguardar um pouco mais, não estaria hoje na situação financeira em que estou. Poderia ter juntado dinheiro e pagado o que queria à vista no lugar de ter entrado em dívidas”. E de fato, até mesmo em nossos investimentos, na forma como usamos o nosso dinheiro, não é difícil perdermos o rumo por conta de ansiedade em excesso.

Sem saber esperar e ansiosos por resultados rápidos, acabamos comprando o que não deveríamos, gastando o que não deveríamos, investindo sem pesquisar direito, e etc. Pois bem, meu amigo, é sempre bom ressaltar que aquele tempo que às vezes achamos que está sendo perdido e por isso precisa de um pouco de ação, pode ser exatamente o tempo necessário para uma reflexão mais profunda, um estudo comparativo mais bem feito, um grande aprendizado e muito mais. Vale para as finanças, vale para a vida.

Permita-se olhar com os olhos abertos

Às vezes penso que não conseguimos esperar porque também não conseguimos olhar direito para o lado, para aquilo que a própria vida e seu término ensinam à sua maneira, e eu me incluo nisso. Como dizem, ninguém nasce de véspera, assim como nenhuma semente germina antes do tempo certo.

Deveríamos considerar que, além de correr, também é preciso parar e aguardar em alguns momentos, independente de todos os outros estarem correndo ao nosso redor, o que hoje em dia não é nada difícil acontecer. Devemos lembrar, porém,  que estar momentaneamente parado não significa falta de ação, mas sabedoria para entender que aguardar no hoje propiciará colher melhores resultados no futuro, certo?

Caso perceba que, na maior parte das vezes, você simplesmente não tem conseguido aguardar o tempo certo das coisas –  e tem metido os pés pelas mãos por conta disso -, é válido buscar ajuda e opções para cuidar melhor da ansiedade e de outras questões emocionais. Fazer uma caminhada, tomar um bom chá, bater um papo com amigos podem ter efeitos super positivos quando você pensa em detonar o orçamento, abrir mão de ganhos certeiros, ou mudar radicalmente o rumo das coisas tomando decisões precipitadas porque não consegue esperar. Que tal fazer um teste e prestar atenção em como anda sendo a sua relação com o tempo? Depois você nos conta o resultado! Boa sorte!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários