O melhor exemplo para fazer com que as pessoas entendam a importância de se ter indicadores de desempenho é uma figura como a charge abaixo, retirada do meu livro “O inédito Viável”.

Não tenha medo de subir na balança: isso pode ajudar você a enriquecer!

A amiga tem a percepção de que a balança é algo ruim porque quando sua mãe a usa vê que seu peso não é aquele que ela desejaria que fosse, daí o choro.

Essa charge é emblemática, pois representa o que a maioria das pessoas faz de maneira inconsciente ou sem disciplina: sem ter indicadores, elas se iludem fazendo contas mentais e não pragmáticas e cartesianas.

O economista comportamental norte-americano Richard Thaler foi quem usou, pela primeira vez, o termo “contas mentais”. São contas que não fecham porque nunca são inseridas numa calculadora; são apenas imaginações.

Aprendi nas aulas de Psicologia Econômica que temos a crença infundada na capacidade do autocontrole futuro; a verdade, porém, é que o autocontrole só existe no presente. Ninguém pode saber como irá se comportar numa queda de avião, isso só será definido se você se encontrar nessa situação, logo, o autocontrole só existe na situação, ou seja, no presente.

Iludimo-nos pensando que “amanhã tudo será mais fácil”, que “um dia eu vou resolver” ou “quando chegar a hora, eu saberei”. São apenas frases, palavras soltas que, com o passar do tempo, não nos mostram fatos, dados, indicadores e evidências sobre como e quando poderemos alcançar objetivos previamente propostos.

Contas mentais que fazem com que nos percamos ao longo do tempo, até o dia em que nos damos conta de que aquela promessa de parar de fumar já completou doze meses; que aquela promessa de regime feita há oito meses não evolui porque ainda nem começou; que aquela promessa de se matricular no curso de inglês já está fazendo aniversário de cinco anos e por aí vai.

“Nossa, falei contigo pela última vez no casamento daquela nossa amiga! Agora, ela já está com um filho de três anos e eu ainda não voltei a estudar… que coisa incrível”. Acredito ser bem comum um diálogo como esse.

Todos nós somos procrastinadores por natureza, como sempre disse o professor Vicente Falconi, e fazer contas mentais definitivamente não é a melhor saída.

Leitura recomendada5 Dicas para evitar a procrastinação e realizar seus objetivos

É importante registrar no papel, na agenda, num caderno, no Ipad, Iphone, Excel, num papel de pão, não importa. Escrever as metas e mensurá-las é o primeiro passo para fazermos os nossos planos darem certo.

Indicadores de desempenho são fundamentais para realização de qualquer objetivo e no nosso dia a dia somos bombardeados por uma série deles. São tantos que, muitas vezes, nem nos damos conta.

Quando assistimos a um jornal na TV, os apresentadores falam dos índices de criminalidade, dos índices de inflação, dos índices de obesidade da população, do crescimento das vendas de carros, das vendas do varejo, do PIB, do crescimento da população, entre outros.

Em época de eleição, as pesquisas de intenções de voto aparecem com força e, vez por outra, “pipocam” pesquisas e indicadores de popularidade dos presidentes.

Todos esses indicadores servem para ser comparados com o histórico ou para projetar o futuro. Enfim, são indicadores que auxiliam na tomada de decisões e entendimento de comportamentos e tendências.

Podemos citar algumas das funções dos indicadores:

  • Indicar, sinalizar de maneira clara e transparente;
  • Possibilitar a identificação da origem do problema;
  • Possibilitar a mostra de desempenho do negócio, do processo, da área, do turno, da operação, da loja, da fábrica, da escola, da pessoa, etc.;
  • Possibilitar a realização das análises dos resultados;
  • Permitir a tomada de decisão com mais segurança;
  • É um ótimo meio de comunicação – os números falam mais que as palavras.

Logo, se meu objetivo em 2016 é guardar R$ 10 mil até o fim do ano, o indicador deveria mostrar, até o fim de janeiro, que eu guardei R$ 833,33. Ao final de fevereiro, ele deveria estar em R$ 1.666,66 (duas vezes R$ 833,33) e assim por diante.

Do mesmo modo, se a decisão é perder 10kg neste ano, ao final de fevereiro eu já teria que ter perdido pouco mais de 1,5kg.

O professor Falconi certa vez disse: “Os indicadores são características numéricas sobre as quais é necessário exercer controle”. E você, leitor, tem mantido controle de seus indicadores?

Afinal, “quem não mede não gerencia; o gerenciamento começa pelos indicadores”, frase marcante de Kaoru Ishikawa serve para a nossa amiga da charge e para todos nós! Não tenha medo de subir na balança, afinal medir é necessário e muito importante.

Leitura recomendadaMetas e objetivos: 7 sacadas para você aplicar na sua vida e na sua empresa

Foto “Happy”, Shutterstock.

Emerson Weslei Dias
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários