natal-bernadete-postDezembro traz consigo um clima característico onde as pessoas se preparam para encontrar a família, para fazer novos planos e encerrar ciclos. De fato, é uma boa oportunidade para recomeçar, já que o calendário novinho nos inspira a novos projetos.

Natal é um momento para estarmos juntos das pessoas que amamos e celebrarmos a Vida. Trocar presentes faz parte dessa data e é um dos momentos mais esperados pelas crianças. Essa época do ano também costuma provocar uma espécie de “euforia coletiva”, onde precisamos atenção para não comprometer nosso financeiro em 2014!

Dezembro tem um clima leve, a decoração iluminada, promessas de felicidade e satisfação. As pessoas ficam mais esperançosas e satisfeitas. Esses sentimentos são bem vindos, sem dúvida, mas meu papel como educadora financeira é propor que vivamos esses sentimentos sem cairmos nas armadilhas do endividamento e gastos desnecessários.

Com isso, essa sensação boa nos acompanhará nos meses seguintes, pois estaremos com a consciência tranquila em relação às atitudes tomadas. O objetivo é o consumo consciente e o despertar para algo além do material, entende?

Assim, vamos a algumas observações importantes:

Os pais devem procurar a tranquilidade em relação aos assuntos ligados ao financeiro

Primeiro compreendendo o significado do dinheiro em sua vida, pois é através dele que lidamos bem ou mal com esse recurso. A partir dessa compreensão somos capazes de partilhar com os filhos alegrias e dificuldades.

Nesse cenário se faz necessário buscar coerência no cotidiano e os presentes precisam estar de acordo com a situação financeira da família, por isso a negociação é tão importante para evitar frustrações.

Conversar com os filhos sobre dinheiro é fundamental

No caso do dinheiro não ser um fator limitante, é importante e muito educativo conversar com os filhos sobre desejos e necessidades. Com isso estaremos ensinando valores imprescindíveis para a formação de um consumidor consciente e de um adulto que não caíra facilmente nas armadilhas de um consumo vazio e vicioso.

Os presentes de Natal podem e devem ser negociados com as crianças

Sugiro principalmente para crianças maiores de 6 anos uma lista de desejos, onde elas escrevem o que querem ganhar. Com essa lista e a ajuda dos pais, será possível escolher as melhores alternativas. Acrescente nesse aprendizado o fator surpresa. Que tal oferecer um presente que eles nem pensam em ganhar?

Pense sobre o valor simbólico dos presentes

Às vezes gastamos mais do que o planejado, pois somos induzidos a acreditar que um presente mais caro representa o quanto gostamos daquela pessoa, representa poder, status ou um sentimento ruim que é a obrigação de presentear. Cuidado.

Conclusões

Recebo muitos pedidos de orientação nessa época do ano, o mais comum gira em torno de questões como desejos e frustrações. Espero que os pontos acima ajudem você a ficar mais tranquilo em relação as suas decisões.

O fator principal é que os ensinamentos dentro do universo financeiro devem ser feitos durante o ano todo. Com isso, a época natalina será vivida com tudo o que ela traz de bom.

O diálogo sincero buscando a formação de um Ser Humano construirá pouco a pouco dias mais felizes e voltados para o que a vida tem de melhor. Solidariedade, amizade, carinho, partilha, felicidade, paz, prosperidade e amor: esses sempre serão os melhores presentes!

Abraço grande, um Feliz Natal e que 2014 seja muito especial. Até lá.

Foto ShutterStock. Portrait of friendly family looking at camera on Christmas

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários