Negócios na Internet: 7 dicas para você alcançar o sucessoMontar um negócio na Web é o sonho de muitos brasileiros. Nem sempre todos conseguem realizar esse objetivo, já que muitos esbarram na inexperiência e em alguns casos deixam de planejar e estudar o mercado de forma adequada.

Pensando em ajudá-lo nessa tarefa, preparei 7 dicas que certamente ajudarão nesse caminho de enormes desafios:

1. Antes de lançar seu negócio online, verifique como o seu cliente resolve hoje o problema que você está propondo a resolver. Ele resolve isso de alguma maneira, as vezes até manualmente – será que você não pode ajudá-lo a fazer isso de uma forma mais produtiva e automatizada?

2. Faça um pesquisa de mercado. Converse pessoalmente com pelo menos 30 potenciais clientes. Se conseguir extrair algo em comum desses 30 clientes, converse com mais 20 ou 30 para certificar-se de que o que os primeiros 30 falaram é uma tendência.

Ter um feedback positivo de 60 pessoas, em regiões diferentes, confirmando que desejam o seu produto é um indício muito forte de que você possa estar no caminho certo e ter clientes pagantes.

3. Procure concorrentes e aprenda com eles. Faça uma boa pesquisa de mercado. A Internet é muito volátil e todos os dias milhares de sites são criados. Eu costumo utilizar pesquisa em buscadores e redes sociais para ver como andam as propostas semelhantes e, mesmo que não seja na forma que eu estou propondo fazer, quais delas estão preenchendo as lacunas no mercado.

4. Ache e forme um bom time. Para ser bom, esse time deve se complementar, ter experiência em seu ramo de negócio. De preferência, é importante que tenha um responsável pela área de negócio, alguém comercial, um desenvolvedor e uma pessoa de design. A pesquisa de mercado será importante até para convencer outras pessoas a acreditarem no negócio e se dedicarem mais.

5. Monte um Minimum Viable Product (MVP). Significa fazer um mínimo conjunto de funcionalidades que permitam uma ação e aprendizado sobre os clientes ou usuários. Mas tem que ser realmente o mínimo, pois se estiver algo errado, você não gastará muito tempo e recurso para refazer.

6. Dos 50 a 60 clientes que fizeram parte da sua pesquisa de mercado, escolha uns 5 ou 10 e lhes ofereça a ferramenta para que possam usar e lhe fornecer um feedback, negativo ou positivo. Coloque um tempo para esta fase (um ou dois meses), dependendo do negócio. Atenção: esses clientes não podem ser amigos ou conhecidos; devem ser pessoas aleatórias e de preferência com perfis diferentes, para que reflitam o seu mercado atuante.

7. Proponha cobrar destes clientes. Agora que você já tem 5 a 10 testes, já recebeu feedback, já consertou o que tinha para ser consertado, estabeleça um preço de mercado. Se eles pagarem é porque viram proposta de valor em seu negócio e você tem uma grande chance de lançar comercialmente e ter outras pessoas dispostas a pagar por ela.

Repare que neste artigo estão dispostas apenas algumas dicas. Montar uma empresa de sucesso é um desafio enorme e que precisa ser encarado com grande responsabilidade e inteligência. Para ajuda-los nessa caminhada conte com o ZeroPaper para controlar as finanças de sua nova empresa. Conheça mais acessando www.zeropaper.com.br e mande-nos seu feedback.

Prêmio TNW Brazil Startup Awards

A ZeroPaper está disputando o prêmio de melhor startup B2B do Brasil no TNW Brazil Startup Awards. Ajude-nos a crescer e ajudar mais pequenas empresas no Brasil! Basta clicar no link abaixo, escolher a ZeroPaper e a TOTVS Ventures e confirmar seu voto! Clique em http://thenextweb.com/startupawards/brazil e participe!

Obrigado e até a próxima. Foto de freedigitalphotos.net.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários