Home Economia e Política Novo BC não será do jeito que o “sistema financeiro fala”, diz Lula

Novo BC não será do jeito que o “sistema financeiro fala”, diz Lula

"Eu estou há dois anos com o presidente do Banco Central do (ex-presidente Jair) Bolsonaro, não é correto isso"

por Reuters
3 min leitura

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira que quem quer o Banco Central autônomo é o mercado, acrescentando que o próximo presidente da autarquia olhará o Brasil da forma que o país realmente é, e não do jeito que o mercado financeiro fala.

Depois de afirmar que o país não precisa de juros altos neste momento, Lula afirmou em entrevista à rádio Princesa, de Feira de Santana (BA), que não dá para o presidente do BC a quem se referiu como “cidadão” ser mais importante que o presidente da República.

“Eu estou há dois anos com o presidente do Banco Central do (ex-presidente Jair) Bolsonaro, não é correto isso”, afirmou, ponderando que a autonomia do BC foi aprovada pelo Congresso e será respeitada.

“Eu tenho que, com muita paciência, esperar a hora de indicar o outro candidato, e ver se a gente consegue… ter um presidente do Banco Central que olhe o país do jeito que ele é, e não do jeito que o sistema financeiro fala”, acrescentou.

O presidente afirmou que preza pela responsabilidade fiscal e que inflação baixa é sua obsessão, usando como exemplo a decisão do governo de manter a meta para a evolução dos preços em 3%.

Após criticar o fato de um governante vencer as eleições sem ter o poder de indicar o comando do Banco Central, Lula voltou a fazer reclamações sobre o nível dos juros básicos no país.

“O que você não pode é ter um Banco Central que não está combinando adequadamente com aquilo que é o desejo da nação. Não precisamos ter política de juro alto neste momento, a taxa Selic a 10,50% está exagerada”, disse.

Lula tem criticado reiteradamente a atuação do Banco Central, também fazendo ataques ao atual presidente da autarquia, Roberto Campos Neto, que tem mandato até o fim deste ano.

Na semana passada, Campos Neto disse que pronunciamentos feitos por Lula impactam negativamente preços de mercado e que o efeito desses movimentos pode dificultar a atuação da autoridade monetária.

O presidente voltou a enfatizar que não haverá mudança na política de reajuste do salário mínimo porque o governo não quer “prejudicar quem já é prejudicado”.

Lula afirmou que não é correto fazer ajuste fiscal por meio de mudança no salário mínimo e argumentou que o governo não gasta o que não tem e está fazendo pente fino contra fraudes em programas sociais.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.