Home Economia e Política Novo parecer propõe taxação de 25% sobre produtos importados de até US$ 50

Novo parecer propõe taxação de 25% sobre produtos importados de até US$ 50

O texto apresentado pelo relator institui uma tabela progressiva, estabelecendo uma alíquota de 25% para importações de até 50 dólares

por Reuters
0 comentário

O deputado Átila Lira (PP-PI), relator do projeto que cria o programa automotivo Mobilidade Verde e Inovação (Programa Mover) e também trata da taxação de compras internacionais de até 50 dólares, divulgou novo parecer nesta terça-feira prevendo uma taxa de 25% sobre essas compras.

Um “jabuti” inserido no texto do projeto voltado ao setor automotivo prevê o fim da isenção de imposto de importação sobre essas compras, conforme pedido pela indústria e o varejo nacional, mas a medida não conta com consenso, nem mesmo entre integrantes da base do governo.

“Vislumbramos a possibilidade de tratar neste projeto de lei das importações abaixo de 50 dólares com isenção de impostos, que têm preocupado a indústria nacional e o varejo e têm colocado em risco empregos e diversos empreendimentos”, diz o deputado, no parecer.

“Propomos revogar a possibilidade de importações via remessa postal que hoje estão isentas, para não gerar desequilíbrio com os produtos fabricados no Brasil, que pagam todos os impostos e sofrem com a concorrência desleal de produtos isentos do exterior”, argumentou.

O texto apresentado pelo relator institui uma tabela progressiva, estabelecendo uma alíquota de 25% para importações de até 50 dólares.

Também mantém a alíquota de 60%, atualmente vigente, para importações acima de 50,01 dólares.

A expectativa é que a proposta seja votada ainda nesta terça-feira pela Câmara dos Deputados para seguir a votação no plenário do Senado na quarta-feira, antes do feriado de Corpus Christi.

Dinheirama

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.