Seu dinheiro - Sua responsabilidadeRecebo, diariamente, inúmeros pedidos de ajuda e dicas para melhores decisões financeiras e de investimentos[bb]. Toda resposta, embora possua um aspecto técnico importante, leva uma mensagem clara e focada no aspecto humano: trabalhe seu conhecimento e exercite sua capacidade de decisão. Invista mais em você e acostume-se a acompanhar a evolução de seu patrimônio, mas também as mudanças do cenário econômico e político do qual faz parte. Não pense apenas no ato de poupar e investir, mas no quanto você ainda pode (e deve) aprender sobre essas palavras e atitudes.

O discernimento proveniente do exercício da razão é sua única arma frente aos clássicos e fatídicos movimentos hipócritas de nossa sociedade. Armadilhas como o consumismo e o endividamento não são criações puramente capitalistas. O fator predominante é a reação diante da expectativa da sociedade, o lado psicológico do dinheiro. Neste obscuro caminho de possuir, aparentar e ter, frequentemente nos esquecemos de nos manter em dia com nossa real capacidade de viver e de crescer como pessoa. Investir em você tem que deixar de ser o puxão de orelha, para ser o exemplo.

Hora de pensar em você!
Diante do aquecimento de nossa economia[bb], é comum surgirem “fontes inesgotáveis” de dinheiro e muitas “minas de ouro”. É a outra face do problema cultural que assola nossa frágil sociedade. Ao mesmo tempo em que acreditar nas prestações “sem juros” é um perigo, acreditar que este ou aquele produto bancário irá fazê-lo enriquecer com facilidade também é arriscado. O evidente desconhecimento e desrespeito ao seu intelecto/perfil o leva a crer que parcelar é algo bom, quando deveria alertá-lo de que é hora de investir (e pensar) mais em você, em inteligência financeira. Susan Ivey, CEO e presidente da Reynolds American completa:

“O fator determinante mais importante em sua estratégia de investimentos é desenvolver uma ampla compreensão de seu perfil de risco indivual, seus requisitos e metas de longo prazo. Consulte profissionais, mas utilize veículos de investimentos que reconheçam os seus requisitos de fluxo de caixa para o futuro”

Você lê o caderno de economia do seu jornal preferido?
Opa, ainda não tem um jornal preferido? Fica difícil decidir e aprofundar-se em questões financeiras sem se informar, concorda? Por que será que os cadernos de dinheiro[bb] e investimentos ainda são solenemente ignorados por uma grande maioria? Culpa dos jornais, que escrevem em linguagem difícil ou técnica demais? Ou será que você não tem o que procurar por lá, embora muitas vezes admita que seu dinheiro pode estar mal investido?

Os rumos da economia podem não significar muito para o seu dia-a-dia, mas certamente impactam o café daquela padaria onde você costuma comer toda manhã. Calma, não pretendo filosofar. Meu objetivo é mais simples: deixando de lado as manchetes de economia e dinheiro você está deixando de lado oportunidades de melhor aplicar seu dinheiro, de melhor gerir suas receitas e de melhor compreender os diferentes tipos de investimento disponíveis no mercado.

Aos poucos, está deixando de lado o exercício de transformar informação em conhecimento. Está deixando de lado o potencial de melhorar, aquilo que você tem de mais forte: a capacidade de aprender. Algumas dicas podem ajudá-lo a reverter esse quadro:

Considere a possibilidade de estudar mais. Investir em cursos, palestras e workshops pode ser interessante e divertido. Muitas escolas oferecem cursos à distância, que costumam ser rápidos e com excelente material. Quantos foram os cursos ou seminários deste tipo que você já frequentou este ano?

Destine mais tempo ao aspecto técnico da coisa. Ainda que os termos e jargões usados no mercado financeiro[bb] sejam um pouco entediantes e complicados, procure investir mais tempo na busca por suas definições e aplicações práticas. Faça isso através de revistas, jornais especializados e material online. Os resultados aparecem. Quem disse que investir na bolsa é tão complicado assim?

Leia mais livros. Ler e trabalhar com experiências de outras pessoas é fundamental para a criação de uma opinião inteligente e suficientemente forte para mantê-lo focado em seus objetivos e metas. Aprenda com quem já experimentou algo que você procura, use um atalho sempre que possível.

Não confunda conselho, notícia e previsão. Decidido a ler mais e melhor, você precisa aprender a formatar o novo conhecimento adquirido, permitindo que fatos sejam corretamente alocados como fundamentos para uma melhor decisão. Isso implica filtrar melhor o grande volume disponível de informações e opiniões e mais cuidado com as decisões embasadas em premissas e dicas de analistas ou meios de comunicação.

O que geralmente acontece?
Muitas pessoas erram porque se envolvem emocionalmente com seus investimentos ou porque preocupam-se demais com o preço pago por este ou aquele bem. Criam raízes. O grande objetivo do investimento é poder definir onde se quer chegar e que estratégia será usada para acompanhar a caminhada até lá. Todos sabem da importância de guardar dinheiro, aplicar e preocupar-se com o futuro e isso é óbvio. Falta aceitar que você é a peça-chave para que tudo saia do papel.

A confusão e a dúvida são comuns quando o assunto é dinheiro. Também é certo que não há um único conselho que englobe todas as alternativas financeiras e suas consequências. No entanto, o investimento em crescimento pessoal sempre será fundamental para que se aceite essa premissa. Assim, encarando a verdade, fica mais fácil reunir forças para começar a ler o caderno de economia e convidar o mercado para “jantar” em sua casa.

Crédito da foto para Marcio Eugenio.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários