O perfil mais desejado do mercado!Buscando maior interatividade com você, leitor do Dinheirama, proponho falarmos um pouco sobre a situação de sua empresa e do seu emprego diante da crise atual. Já sei que você não agüenta mais ouvir falar em crise, mas o objetivo aqui é falar das oportunidades de crescimento profissional[bb] que ela proporciona para alguns cargos. Que tal, achou interessante? Então leia o artigo e deixe sua opinião sobre o tema no espaço de comentários. Combinado? Desejo a você uma ótima leitura.

O objetivo do texto de hoje é mostrar como o setor de recursos humanos, ou de desenvolvimento humano e organizacional, da maioria das corporações está se comportando diante da crise. Para isso, acredito ser mais interessante desenvolvermos a idéia fazendo um bate-papo sobre o comportamento dos headhunters de uns tempos pra cá e sua opinião sobre tudo isso.

Período 2007/2008
A estratégia era olhar para fora da empresa, ou seja, buscar novos talentos, além de aumentar a remuneração dos colaboradores. Isso por causa, principalmente, da escassez de profissionais qualificados e competitivos no mercado. Nada muito extraordinário, não é?! Diria até que muito comum.

Período 2008/2009
Hoje, a preocupação é reter os talentos existentes nas corporações. Isso significa olhar para dentro delas e agir de forma a melhorar processos[bb] e evitar desperdícios diante dessa crise, buscando principalmente a expansão e o crescimento da empresa. Ou seja, as corporações estão em busca dos famosos “intra-empreendedores”, aqueles que têm o sentimento de “dono do negócio”.

Aliás, esqueci de mencionar que, para manter os seus talentos, as corporações continuam fazendo uso de uma política de altas remunerações e programas de benefícios e recompensas. Mas, é claro, os desafios impostos são ainda mais difíceis. Um texto bastante interessante sobre o tema intra-empreendedorismo é o de Werner Kugelmeier, diretor-proprietário da WK Prisma, intitulado “O perfil do Profissional Mais Cobiçado”.

Para você que está preocupado com o setor em que trabalha (ou no qual almeja trabalhar), ficam aqui minhas conclusões diante das notícias e comentários de empresários e profissionais: em relação à contratação, os setores mais afetados por essa crise são os de bens de capital, mercado financeiro, de automóveis, de construção civil e de imóveis.

Por outro lado, a crise abre oportunidades em áreas que possuem mais tranqüilidade, como os setores de bens de consumo, varejo, serviços, Tecnologia da Informação (TI), energia e infra-estrutura.

Embora a situação para algumas pessoas esteja difícil dentro desse contexto de crise, o mais importante agora é desenvolver seu trabalho[bb], com entusiasmo e com dedicação, sempre visando o crescimento da corporação que você defende. Como alguns leitores já disseram em seus comentários, o importante agora é trabalhar muito e trabalhar bem, para que seu esforço seja valorizado.

Aproveito para agradecer sua leitura e deixar uma citação que demonstra meu pensamento a respeito do comportamento ideal para qualquer indivíduo ou empresa diante de crises como a que vivemos atualmente:

“Na África, toda manhã uma gazela acorda sabendo que terá que correr mais rápido do que o leão mais veloz para não morrer. Toda manhã, na África, um leão acorda sabendo que terá que correr mais rápido do que a gazela mais lenta, ou morrerá de fome. Assim, não faz diferença se você é leão ou gazela. Quando o sol nascer, é melhor começar a correr!”

Quanto você corre? Que objetivos tem ao correr? Onde quer chegar? As respostas definem quem você é, mas a corrida continua essencial para que seu perfil se destaque diante dos demais. Faça mais, faça melhor e lembre-se: com ou sem crise, o sucesso será conseqüência. Até a próxima.

——
Bruno Biscaia
é estudante de Engenharia de Produção, interessado em finanças, em gestão de pessoas e em inovação. Atua diretamente com marketing na empresa júnior da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) e edita a seção de Empreendedorismo do Dinheirama.

Crédito da foto para stock.xchng.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários