Existe uma máxima que diz que enquanto somos jovens, temos disposição e tempo, mas não temos dinheiro. Já quando ficamos mais velhos, o dinheiro já não é mais um problema, mas a disposição já não é a mesma.

Embora existam muitas exceções (é claro) para esses casos, não podemos negar que é cada vez mais comum conhecer pessoas que julgam não poder colocar em prática suas ideias por não ter dinheiro para isso. Tenho visto muitos jovens que desistem antes mesmo de tentar colocar em prática o que pretendem fazer.

A verdade é que muitos jovens não conseguem perceber que o planejamento é fundamental e que para tudo na vida é necessário um ponto inicial, sendo que por si só todo início costuma ser mais difícil.

Tempo é um recurso precioso

O que a maioria dos jovens não percebe é quanto tempo eles ainda têm pela frente; a expectativa de querer tudo rapidamente acaba por ser um componente delicado de lidar – a frustração neste sentido não deveria ser paralisante, mas é o que acaba acontecendo, e o tempo vai passando.

Seria ótimo se conseguíssemos enriquecer da noite para o dia, mas a verdade é que para a imensa maioria das pessoas a história é bem diferente, por isso é muito mais inteligente abrir espaço para uma vida inteira baseada no consumo consciente e na educação financeira.

Adaptando uma frase famosa, eu diria que as tacadas insanas dão fama, as constantes dão grana. De uma maneira geral, quanto mais jovem se aprende a poupar e planejar a vida, mais preparado o jovem estará durante todo o seu desenvolvimento (e mais qualidade de vida ele terá).

Atenção: planejar as finanças não significa apenas abrir uma caderneta de poupança. É claro que poupar dinheiro é algo inteligente, mas quando se é jovem fica mais fácil arriscar novas abordagens, inclusive conhecendo produtos que ao longo do tempo possam apresentar rentabilidades interessante. Você já pensou em conhecer um pouco mais sobre bolsa de valores, por exemplo?

Sem arrependimentos futuros

Para garantir uma velhice tranquila, não podemos tentar seguir apenas por caminhos tortuosos. É bom se apegar a planos seguros de construção de renda e patrimônio! Mas até isso pode ser feito de maneiras diferentes daquelas que estamos acostumados.

O investimento em renda fixa, por exemplo, com o atual cenário de juros altos e renda fixa oferecendo alta rentabilidade não pode ser desperdiçado. Criamos um curso sobre Tesouro Direto bastante didático, clique aqui para saber mais.

Não existe uma receita infalível! Aos poucos os jovens vão perceber que apostar em planos mirabolantes de enriquecimento rápido costuma ser um tiro no pé. A paciência, o planejamento e a capacidade de manter a disciplina são as armas indispensáveis para quem pensa em construir um futuro mais rico.

Outra decisão inteligente é não ter medo de arriscar. Eu gosto sempre de lembrar um comentário que ouvi da boca de Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil: “O maior risco é nunca correr riscos”.

Comece a construir sua história, aposte na educação financeira e tenha uma visão de oportunidade que te leve a experimentar coisas novas. Ninguém vai enriquecer agindo sempre da mesma maneira, nem cometendo sempre as mesmas idiotices (clique e veja quais são elas).

Aqui no Dinheirama, apostamos na simplicidade: comece fazendo um bom controle financeiro usando nossa planilha gratuita (clique aqui para download). No final, o segredo consiste em transformar a educação financeira em um estilo de vida! Até a próxima!

Foto “Senior man riding scooter”, Shutterstock.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários