A despeito dos depoimentos da nossa Excelentíssima Presidente e sua trupe, tentando mascarar a atual situação político-econômica pela qual estamos passando, o fato é: estamos passando por uma crise, sim!

Para você que está lendo este texto, tenho uma notícia boa e uma ruim. A boa é que, como tudo na vida, essa crise não durará para sempre. A ruim é que depois que essa crise terminar, não tardará para enfrentarmos outra logo à frente.

Estamos cansados de ouvir que “depois da tempestade vem a bonança”, o que é a mais pura verdade. O que não te contaram – e cabe a mim te contar – é que depois da bonança sempre existe outra tempestade à nossa espera.

Leitura sugerida: 5 dicas para enfrentar (e atravessar) a crise com dinheiro no bolso

Em um mundo cada vez mais globalizado, torna-se cada vez mais difícil as nações passarem por um período prolongado de prosperidade. É bem verdade que a crise pela qual estamos passando no presente momento é de responsabilidade única e exclusivamente nossa, mas pode ser diferente no futuro.

Não é preciso nenhum grande exercício de elucubração para supor que daqui um ou dois anos os Estados Unidos passem por alguma crise. Qual seria o resultado disso? Crise no Brasil! E se for a Europa? Crise no Brasil! E a Argentina? Crise no Brasil! E se for a China, Índia ou algum outro país dos BRICS? Crise por aqui também!

O mundo em que vivemos está desenhado de tal forma que qualquer elo da corrente que arrebente causa problemas na corrente inteira. Ou seja, mesmo quando não formos os causadores da crise, como somos agora, pagaremos pelos erros de algum governante em algum lugar do mundo – e com tantos governantes incompetentes espalhados mundo a fora não é questão de “se”, mas sim “quando” a próxima crise baterá à nossa porta.

Leitura sugerida: Crise e juros altos, uma combinação que pode proteger seu patrimônio

Longe de mim querer ser o profeta do Apocalipse, muito menos quero desanimar você quanto ao seu futuro. Meu único e exclusivo intuito ao escrever este artigo e compartilhar com você a minha visão sobre as crises e o mundo que vivemos é abrir os olhos para o que precisamos fazer se não quisermos viver à mercê do momento econômico.

Daqui a pouco esta crise irá passar! O que faremos de agora até o momento da próxima crise é que fará a diferença entre prosperar apesar dos problemas ou sucumbir a eles.

Como diria o megainvestidor Warren Buffett, “o que aprendemos com a História é que as pessoas não aprendem com a História”. Se almejamos não apenas sobreviver, mas também vencer essa e outras dificuldades que ainda estão por vir, uma das coisas que precisaremos fazer é aprender.

Aprender com os nossos erros e, principalmente, aprender com os erros alheios. Aprender com a História! Você deve estar se perguntando: se fizermos isso, seremos capazes de vencer a próxima crise? Iremos conseguir superar a concorrência? Fazendo isso, conseguiremos atingir nossos objetivos?

Sei que você gostaria de ouvir de mim um sonoro “Sim”, mas com toda sinceridade do mundo, eu respondo: “Não sei”. Eu não tenho bola de cristal e não tenho a pretensão de prever o futuro. Eu não sou economista!

O que eu sei e posso afirmar com toda a convicção é: preparar-se para o futuro não garante o sucesso, mas não se preparar para ele é garantia de fracasso. Logo, é melhor fazer alguma coisa, não é mesmo? Obrigado e até a próxima!

Foto “People in doubt”, Shutterstock.

Samuel Magalhães
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários