O que você diz a uma criança faz toda a diferençaQuantas vezes, quando criança, você não ouviu a frase “O que você quer ser quando crescer?”. Ou então “Não mexa ai, você pode se machucar”. Tenho certeza que ainda hoje você vê diversos pais[bb] dizendo essas frases para seus filhos e para as lindas crianças que aparecem à sua frente. Você que tem dito tudo isso para seus filhos, PARE! Tente mudar a forma de se comunicar.

Você que é pai, mãe, ou está se preparando para seguir este caminho um dia, tente refletir um pouco sobre os sinais que você envia ao seu filho enquanto se comunica com ele. Quando perguntamos a uma criança o que ela quer ser quando crescer, anulamos, mesmo que pouco, algumas das possibilidades de ela agir hoje, de realizar algo diferente no presente.

Passamos a ideia de que para ser capaz de ser, ter e fazer coisas diferentes de outras crianças, ela precisa crescer e se transformar em um adulto. É como se o potencial de criação e de força de vontade de todo o ser humano surgisse quando ele completasse a maioridade. Algo não deve estar certo nisso! Seja um parceiro das crianças (filhos, sobrinhos, primos etc.) e transforme as brincadeiras em aprendizado para a vida.

Quer um exemplo de como reverter isso e estimular seu filho a acreditar no potencial dele? Quando você vir seu filho mexendo em algo perigoso ou com algo que não é “para a idade dele”, tente não dizer “pare de fazer isso, você pode se machucar!” ou que ele é pequeno demais para mexer naquilo. Prefira dizer: “já que você está tão interessado em saber como se mexe nisso, eu vou te ajudar, uma vez que isso é um pouco perigoso para crianças”.

Assuma, mas não acabe com a curiosidade dos pequenos, nem com seu interesse em transformar o mundo com sua sinceridade e vontade de mudar. Nenhuma criança tem de esperar se tornar adulta para realizar sonhos[bb], criar coisas e empreender. Experimente provocar mais as crianças: “o que você tem vontade de fazer agora? O que você gostaria de criar? Vamos lá, eu te acompanho e te ajudo! JUNTOS, A GENTE CONSEGUE”.

O amparo e o apoio concedidos na fase inicial de crescimento são fundamentais para o desenvolvimento de qualquer pessoa, seja uma criança, um adulto qualquer ou um profissional em início de carreira. Isso porque, nesse momento, a pessoa faz o que gosta com entusiasmo, por vontade própria, e não por dinheiro. Acostume-os a ter e incentivar a autoconfiança.

Estimule o potencial empreendedor de toda criança o máximo possível. E isso vale também para a educação financeira: chame o pequeno e a pequena para participarem das conversas sobre as finanças da casa enquanto resolvem os “problemas de adultos”. Prefira agir assim ao invés de dizer que isso não é coisa para criança e falar para eles irem brincar no quarto.

Mude, experimente agir de forma mais proativa, menos tradicional. Estes são exemplos de pequenas ações que fazem uma grande diferença no futuro de todo ser humano. Alimente-os com ideias, autoconfiança, segurança e empreendedorismo[bb]! O resultado é muito mais amor e potencial para ser o que quiserem. Vamos lá, experimente! Até a próxima.

Crédito da foto para stock.xchng.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários