Eduardo comenta: “Navarro, estou desesperado atrás de dinheiro. Perdi meu emprego há 6 meses e fiquei administrando a situação com a reserva financeira que tinha, mas agora acabou tudo. Já coloquei meu carro à venda e preciso desesperadamente de um emprego. Tem alguma dica para quem está enroscado como eu? Não quero fazer empréstimos, pois ao menos não devo nada (ainda) para ninguém. Obrigado”.

Talvez você ou algum conhecido seu precise de uma saída para situações complicadas envolvendo renda e crise. Nesses momentos, não adianta a gente ficar divagando sobre muitas coisas, possibilidades e alimentar aquela coisa de “daqui a pouco vou conseguir recolocação, tenho certeza”. Sim, vai, mas enquanto isso o tempo se torna seu inimigo e é preciso agir rápido.

Se você se identificou com a mensagem do leitor ou conhece alguém assim, este texto é para você(s). Vou dar algumas sugestões pontuais, mas procure ver a essência por trás destes exemplos para aplicar do modo que fizer mais sentido para você.

Emprego, não; trabalho, sim

Já escrevemos aqui em outros textos sobre a inflexão na mente de muitas pessoas, que tem dificuldades em procurar trabalho, pois só pensam em emprego (aquele de carteira assinada).

Em qualquer situação de necessidade de geração de renda, mas principalmente nas mais críticas, esqueça a ideia de dedicar muito tempo para conseguir um emprego. Prefira usar a maior parte do seu tempo para realizar trabalhos para as pessoas, seja prestando serviços ou criando/revendendo produtos.

Exemplo prático 1

Se você mora em uma capital onde o serviço do Uber já está ativo e você sabe dirigir, considere utilizar esta plataforma colaborativa para trabalhar. E mesmo que você não tenha carro, tenho uma dica bacana: considere alugar um para realizar esta atividade.

Já constatei, conversando com alguns motoristas, que mesmo pagando aluguel mensal de um carro, se trabalhar com vontade, é possível gerar bons lucros. Se tiver carro próprio que se enquadre nas exigências do Uber, melhor ainda.

Vídeo recomendado: Crise também como sinônimo de oportunidade

Exemplo prático 2

Revenda de roupas, cosméticos e perfumaria. Eu poderia apenas dizer revenda de produtos, mas para deixar a coisa mais prática ainda, já estou logo sugerindo este nicho, que é forte, e vai facilitar o seu ingresso nesse mundo das revendas

Será necessário aprender técnicas de marketing e vendas, bem como melhorar, na medida do possível, sua infraestrutura de trabalho. No entanto, é totalmente possível começar mesmo sem experiência, utilizando sua rede de contatos. A partir daí, em cada visita de venda, tente conseguir indicações para novas visitas.

Para isso você precisará ter um capital inicial mínimo, na ordem de uns R$ 2 a 3 mil, para montar seu estoque inicial, que poderá ser obtido em compras no atacado, de diversos fabricantes do setor. Pesquise primeiro na internet, faça contatos por telefone com os fornecedores e só depois que tiver entendido bem como as coisas funcionam, faça a visita presencial para avaliar e comprar as mercadorias.

Leitura recomendada: 4 Dicas sobre negociação e vendas que todos devemos praticar

Exemplo prático 3

Representação de vendas. É um trabalho similar ao anterior, mas com a diferença de que neste caso você estará representando uma empresa, com um ou mais produtos específicos, na sua região de atuação.

Se por um lado você pode ter menos liberdade para desenvolver seu modo de trabalho, por outro você contará com uma estrutura já pronta e testada, bem como melhor suporte para seus clientes após terem comprado o produto.

Também há a vantagem de normalmente não haver exigências de se montar um estoque próprio, uma vez que a logística de entrega do produto é feita pela própria empresa que os fabrica.

Você pode usar estes três exemplos como base para aplicar a ideia com outros produtos ou de formas diferentes, porém com os mesmos (ou melhores) resultados financeiros.

Ebook gratuito recomendado: Ter uma Vida Rica Só Depende de Você

Conclusão

Depois que você estabelecer um fluxo financeiro que seja suficiente para atender às suas necessidades básicas, vá disparando currículos, fazendo contatos e buscando um emprego (de carteira assinada).

Devo alertá-lo acerca de um risco que você vivenciará na prática: você pode gostar tanto de trabalhar por conta própria que vai acabar “aposentando” sua carteira de trabalho e assumir a posição de empreendedor. Ou não. Tudo dependo do seu perfil e das circunstâncias, é claro.

Um risco maior ainda é de que tudo isso dê tão certo, que você irá prosperar financeiramente como jamais imaginou que aconteceria no emprego (vida) anterior! É provável que você conheça pessoas que passaram por isso.

Enfim, as possibilidades existem, mas o sucesso dependerá, em grande parte, do seu esforço, dedicação, paciência e perseverança. Então, mãos à obra! Abraço forte e até a próxima!

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários