Na decisão em que autorizou a deflagração da Operação Greenfield, realizada nesta segunda-feira (5), o juiz da 10ª Vara Federal de Brasília, Vallisney de Souza Oliveira, apontou que a investigação detectou problemas.

Os fundos de pensão dos funcionários das estatais Caixa Econômica, Banco do Brasil, Petrobras e Correios “pagavam pelas cotas do FIP mais do que elas de fato valem, sofrendo, assim, um prejuízo ‘de partida’, independente do próprio sucesso que venha a empresa a ter no futuro”.

Os FIPs são Fundos de Investimentos em Participações lançados por empresas no mercado de capitais. Isso é feito para captar recursos com a venda das cotas e, assim, bancar investimentos empresariais, como ampliação de atividades.

O juiz afirmou, na decisão, que as aquisições das cotas de pelo menos oito dos FIPs sob investigação “foram precedidas de avaliações econômico-financeiras (‘valuations’) irreais e tecnicamente irregulares, tendo como objetivo real superestimar o valor dos ativos da empresa, aumentando, de forma artificial, a quantia total que o próprio fundo de pensão precisa pagar para adquirir a participação acionária indireta na empresa”.

O magistrado comparou a situação “aos conhecidos ‘superfaturamentos’ de obras públicas, no qual o valor de uma obra é superestimado a fim de justificar um pagamento a maior por parte do poder público ou dos fundos de pensão”.

Ferramenta gratuita recomendadaSuper planinha para seu controle financeiro

Segundo o Ministério Público Federal, em documento referido pelo juiz, “foram verificadas irregularidades/ilicitudes em pelo menos oito casos de investimentos dos fundos de pensão em FIPs”:

  • Cevix (participações da Funcef e da empreiteira Engevix),
  • Multiner (fundos e administração da corretora Planer),
  • Sondas (fundos e Sete Brasil),
  • OAS Empreendimentos (Funcef e empreiteira homônima),
  • Enseada (Petros, Funcef, uma agência de fomento do Amazonas e uma credora da Gradiente),
  • RG Estaleiros (Funcef e Engevix),
  • Florestal (Funcef, Petros e a Eldorado, controlada pela J&F, do grupo JBS) e
  • Global Equity (Funcef, Petros, Previ e a Global Equity Administradora de Recursos).

Para G-20 crescimento global segue aquém do esperado

As 20 maiores economias do mundo repetiram a avaliação de que a economia global cresce, mas em ritmo mais fraco do que o desejado.

Comunicado final da reunião realizada na China repete os riscos já mencionados pelo presidente chinês, Xi Jinping, como volatilidade financeira, flutuação do preço das commodities e fraqueza no comércio exterior.

O grupo repetiu a avaliação de que a política monetária não pode fazer todo o trabalho para a retomada do crescimento equilibrado.

“O crescimento continua mais fraco que o desejado. Riscos permanecem diante do potencial de volatilidade dos mercados financeiros, flutuações do preço das commodities, fraqueza no comércio e investimento, e lenta produtividade e crescimento do emprego em alguns países”, cita o comunicado divulgado pela União Europeia.

Além dos riscos globais, o G-20 reconhece que há desafios “nos desenvolvimentos geopolíticos, aumento do fluxo de refugiados assim como terrorismo e conflitos que também complicam a perspectiva econômica global”.

Diante dessa avaliação, o grupo das 20 maiores economias do mundo diz que “a política monetária não pode liderar sozinha o crescimento equilibrado” da economia. Por isso, o grupo reforça a importância das reformas estruturais e insta líderes a executar ajustes para reduzir os desequilíbrios.

Bancários entram em greve nacional

Os bancários iniciam greve nacional a partir desta terça-feira (6). A categoria reivindica reajuste salarial de 5% além de reposição da inflação no período (9,57%). Os bancos oferecem reajuste de 6,5% sobre o salário e benefícios —como vale-alimentação e auxílio-creche—, além de abono no valor de R$ 3.000.

De acordo com a Contraf (confederação que representa trabalhadores do ramo financeiro), a paralisação foi aprovada em assembleias de cerca de 140 sindicatos e federações pelo país realizadas na última semana.

A última greve nacional dos bancários aconteceu em outubro de 2015 e durou 21 dias. A categoria conseguiu um reajuste de 10%, com aumento real de 0,11%.

Os serviços bancários continuam funcionando normalmente para quem utiliza os canais de home banking e seus respectivos aplicativos.

Canal recomendado: TV Dinheirama – a cada semana, novos vídeos sobre educação financeira

Mercado financeiro

O Banco Central divulgou a ata da última reunião do COPOM (Comitê de Política Monetária) onde fica evidente o tom linha dura da instituição em relação ao combate da inflação.

O Ibovespa, principal benchmark da Bolsa de Valores de São Paulo, operava às 11h19 em baixa de -0,53% com 59.250 pontos. O dólar caía -1,02% sendo negociado por R$ 3,25.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários