Home Economia e Política Pagamento com Pix cresce 75% em 2023 e é o mais usado por PMEs

Pagamento com Pix cresce 75% em 2023 e é o mais usado por PMEs

Em todo o ano passado foram registrados 108,7 bilhões de transações (pix, cartões, cheque, boleto, etc) que movimentaram R$ 99,7 trilhões

por Agência Sebrae
0 comentário

O Pix é a modalidade de pagamento preferida dos clientes dos pequenos negócios. O dado que já havia sido apontado em pesquisa do Sebrae no ano passado foi confirmado em documento divulgado nesta terça-feira (4) pelo Banco Central do Brasil.

Segundo o estudo “Estatísticas de Pagamentos de Varejo e de Cartões no Brasil de 2023”, a transação bancária em tempo real atingiu 39% do total de pagamentos – um crescimento de 75% em comparação a 2022.


“Está ocorrendo uma grande transformação digital dos serviços financeiros e os pequenos negócios são parte importante dessa evolução, uma vez que eles rapidamente se adaptaram e continuam se adaptando às inovações que surgem no mercado. O Pix, por exemplo, é um sucesso indiscutível, sendo a modalidade preferida de 41% dos clientes de micro e pequenas empresas. Os empreendedores devem ficar atentos a essas inovações para atender os seus clientes que, de forma geral, são os primeiros a usar e até mesmo exigir essas novas tecnologias”, avaliou o gerente de Capitalização e Serviços Financeiros do Sebrae, Antônio Valdir Oliveira.

Em todo o ano passado foram registrados 108,7 bilhões de transações (pix, cartões, cheque, boleto, etc) que movimentaram R$ 99,7 trilhões. O valor é 9% superior ao registrado em 2022.

O cartão, somando as três modalidades (crédito, débito e pré-pago) foram utilizados em 41% dos pagamentos. As transações de boleto também tiveram sua participação reduzida de 7% para 5% em comparação com 2022. Já o Pix teve valor médio de R$ 409 e o mercado de cartões de R$80.

Os smartphones foram o principal canal de pagamento no ano passado, tanto para pix, como para cartão, respondendo por 82% dos pagamentos. Outro dado que merece destaque é o de transações parceladas sem juros, que representaram cerca de 13% da quantidade total de pagamentos com cartão crédito.

O resultado corresponde a cerca de 48% do valor total. A informação reforça a campanha da qual o Sebrae faz parte pela manutenção desse modelo de pagamento.


É importante que o mercado tenha opções diversas para se ajustar ao movimento dos negócios, seja Pix ou cartão. Dessa forma, as ferramentas poderão ser bem utilizadas pelos empresários e dentro de um bom planejamento e operacionalização de seu fluxo de caixa e do negócio como um todo.

Antônio Valdir Oliveira, gerente de Capitalização e Serviços Financeiros do Sebrae

Administração

O gerente do Sebrae destaca que o fato de o dinheiro ficar imediatamente disponível para o empresário por meio do Pix é uma importante forma de garantir uma gestão financeira mais bem organizada – para realizar algum investimento, antecipar pagamentos ou até realizar alguma aplicação para uso futuro utilizando os juros a seu favor.

“Independentemente disso, o empresário deve ter um controle muito cuidadoso de seu fluxo de caixa e planejar bem a utilização dos recursos visando sempre a saúde e sustentabilidade de seu negócio. Ao facilitar o modelo de pagamento, os consumidores dão aos pequenos negócios a agilidade no recebimento das contas, evitando custo de transação e necessidades de antecipação ou pequenos ajustes no fluxo de caixa. A organização deve ser premissa para o sucesso de um negócio”, apontou Valdir Oliveira.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.