A perspectiva positiva apontada pelo mercado imobiliário norte-americano tem atraído cada vez mais investidores brasileiros, seja para morar ou expandir seus negócios.

As taxas de rentabilidade são superiores a outras modalidades de investimento, e com menor volatilidade. Como exemplo: aluguel residencial em Atlanta (EUA) rende 7,5% a mais contra aluguel residencial no Rio de Janeiro (3,8%). Outros índices também mostram retorno maior: FIF-RF (0,5%), LFT (1,0%), CDB-CDI 95% (1,4%) e Poupança (0,2%).

Sem dúvida, a aquisição de um imóvel nos Estados Unidos é um investimento bastante interessante, entretanto, antes de “mergulhar de cabeça” é preciso estar atento a algumas condições.

Em primeiro lugar, é importante que o investidor esteja ciente de que, ao contrário do Brasil, as negociações devem ser feitas com a intermediação de um corretor que tenha conhecimento do mercado local. A cultura de como fazer negócios no Brasil deve ser deixada de lado.

Aqui vão mais algumas dicas do passo a passo para quem deseja diversificar os investimentos e apostar nesta alternativa.

1. Providencie a documentação necessária

O Passaporte deve estar com visto válido, com comprovação de renda financeira mediante extrato bancário ou aplicação financeira que seja coerente com o valor do imóvel escolhido. Para a compra à vista, são necessários os seguintes documentos:

  • Cópia do Passaporte: páginas 1, 2 e a de onde consta o Visto;
  • Prova do valor da compra através de cópia de extrato bancário ou demonstrativo de aplicação financeira.

Para a compra financiada, os documentos solicitados são:

  • Cópia do Passaporte: páginas 1, 2, 3 e a do Visto;
  • Comprovante de residência;
  • Conta bancária nos Estados Unidos;
  • Carta do Contador;
  • Cópia dos dois últimos anos do imposto de renda, PF e PJ, neste último caso se houver;
  • Cópia dos três últimos extratos bancários;
  • Prova dos valores, isto é, do valor da entrada e mais 6 meses correspondentes às prestações do financiamento em conta ou aplicação bancária nos EUA.

Importante: Todos os documentos devem estar traduzidos para o idioma Inglês, por um tradutor juramentado.

2. Faça a transferência de valores para os EUA 

A transferência de fundos para a compra do imóvel deverá ser feita dentro das regras do Banco Central do Brasil (BC). Uma conta bancária deverá ser aberta em nome da pessoa que efetuará a transferência e aprovada pelo BC para efetuar a operação.

Para abrir sua conta você precisará de:

  • Cópia do passaporte;
  • Comprovante de endereço;
  • Depósito de, no mínimo, US$ 100,00.

Importante: a declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física é um documento aceito pelos bancos como comprovação de renda.

Nenhum imposto é devido para a transferência, nem por parte dos Estados Unidos, nem pelo Brasil. Existem empresas que processam esta transferência. Além dos bancos comerciais do relacionamento de cada investidor, indica-se o apoio de uma corretora americana capacitada, que apresente uma taxa de câmbio competitiva e com profissionais fluentes no idioma Português.

3. Avalie a possibilidade de comprar via financiamento

Apesar das compras à vista possuírem condições mais atrativas, sim, é possível financiar. O financiamento para estrangeiros, no momento, está disponível em algumas instituições financeiras e nas seguintes condições:

  • Entrada 30%-40% e 60%-70% financiado, em até 30 anos, com juros em média de 5% ao ano, dependendo do pacote. A taxa inicial será fixa nos primeiros cinco anos e depois reajustada anualmente;
  • O investidor deverá ser aprovado pelo banco e as condições podem variar em função da instituição financeira e do imóvel. Importante: nem todos os imóveis se qualificam para financiamento.

Conclusão

Investir em imóveis nos EUA não é complicado e tem sido uma escolha rotineira de investidores que buscam diversificação, proteção do seu investimento e rentabilidade.

Durante todo e qualquer procedimento, contrate um profissional qualificado e especialista em sua área de atuação (corretor, advogado e contador) para ter pleno conhecimento de todos os detalhes, riscos e custos antes de iniciar o processo de investimento.

Foto “Luxury house”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários