Home Economia e Política Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA ficam estáveis em níveis baixos

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA ficam estáveis em níveis baixos

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego ficaram inalterados em 212.000 na semana encerrada em 13 de abril, em dado com ajuste sazonal, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira

por Reuters
0 comentário

O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego ficou estável em níveis baixos na semana passada, apontando para a continuidade da força do mercado de trabalho.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego ficaram inalterados em 212.000 na semana encerrada em 13 de abril, em dado com ajuste sazonal, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira.

Economistas consultados pela Reuters previam 215.000 pedidos na última semana. Os pedidos de têm oscilado em uma faixa de 194.000 a 225.000 este ano.

A força do mercado de trabalho, que está impulsionando a economia, juntamente com a inflação elevada, levou os mercados financeiros e alguns economistas a esperar que o Federal Reserve adie o corte da taxa de juros até setembro. Alguns economistas duvidam que o banco central dos EUA reduzirá os custos de empréstimos este ano.

Inicialmente, os mercados financeiros esperavam que o primeiro corte ocorresse em março, o que foi adiado para junho e agora para setembro, já que os dados sobre o mercado de trabalho e a inflação continuaram a surpreender nos primeiros três meses do ano.

Na terça-feira, o chair do Fed, Jerome Powell, evitou fornecer qualquer orientação sobre quando os juros poderiam ser reduzidos, dizendo, em vez disso, que a política monetária precisa ser restritiva por mais tempo. O banco central tem mantido sua taxa de juros na faixa de 5,25% a 5,50% desde julho, após um total de 525 pontos-base de alta desde março de 2022.

Desemprego EUA by

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.