Home Economia e Política Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA sobem em 4 mil

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA sobem em 4 mil

Os pedidos de auxílio passaram para o limite superior de sua faixa de 194.000 a 243.000 neste ano

por Reuters
3 min leitura

 O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego aumentou na semana passada, apontando para o enfraquecimento das condições do mercado de trabalho.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego aumentaram em 4.000 na semana encerrada em 29 de junho, para 238.000 em dado com ajuste sazonal, informou o Departamento do Trabalho na quarta-feira. O relatório foi divulgado um dia antes devido ao feriado do Dia da Independência na quinta-feira.

Economistas consultados pela Reuters previam 235.000 pedidos na última semana.

Os pedidos de auxílio passaram para o limite superior de sua faixa de 194.000 a 243.000 neste ano, em parte devido a um aumento nas demissões uma vez que a taxa de juros mais alta diminui a demanda, bem como às dificuldades de ajustar os dados às flutuações sazonais durante os feriados.

A volatilidade pode persistir após o feriado de 4 de julho. Normalmente, os fabricantes de automóveis deixam as fábricas de montagem ociosas para revisões no verão, mas o momento é incerto.

O mercado de trabalho está esfriando de forma constante, com o governo informando na terça-feira que havia 1,22 vaga de emprego para cada pessoa desempregada em maio. A relação vaga/desemprego está próxima de sua média de 1,19 de 2019.

O chair do Federal Reserve, Jerome Powell, disse na terça-feira que a economia estava de volta a uma “trajetória desinflacionária”, mas que as autoridades precisam de mais dados antes de reduzir os juros.

Os mercados financeiros continuam otimistas quanto à possibilidade de o banco central dos EUA iniciar seu ciclo de afrouxamento monetário em setembro.

O Fed tem mantido sua taxa de juros de referência na faixa atual de 5,25% a 5,50% desde julho passado, após um total de 525 pontos-base de aumentos desde 2022 para eliminar a inflação.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.