Home Economia e Política Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA têm queda inesperada

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA têm queda inesperada

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 2.000 na semana encerrada em 16 de março, para 210.000 em dado com ajuste sazonal

por Reuters
0 comentário

O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego caiu inesperadamente na semana passada, sugerindo que o crescimento do emprego permaneceu forte em março.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego caíram em 2.000 na semana encerrada em 16 de março, para 210.000 em dado com ajuste sazonal, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira. Economistas consultados pela Reuters previam 215.000 pedidos na última semana.

Na quarta-feira, o Federal Reserve deixou sua taxa de juros na faixa de 5,25% a 5,50%, mas as autoridades indicaram que ainda esperam reduzi-la em 0,75 ponto percentual até o final do ano.

O chair do Fed, Jerome Powell, disse aos repórteres que não vê “rachaduras” no mercado de trabalho, que ele descreveu como “em boa forma”, observando que “os desequilíbrios extremos que vimos no início da recuperação da pandemia foram, em sua maioria, resolvidos”.

A resiliência do mercado de trabalho está ajudando a sustentar a economia, que continua a superar seus pares globais. Apesar de uma série de demissões de alto nível no início do ano, os empregadores têm acumulado mão de obra depois de terem tido dificuldades para encontrar trabalhadores durante e após a pandemia de Covid-19.

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.

© 2024 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.