Por: Gustavo Chierighini (@GustavoChierigh), fundador da Plataforma Brasil Editorial.

dinheirama-post-pequenos-sobrevivem-encorajam-mas-inspiram-cuidadosCaro leitor, desta vez, enquanto o gato aguarda vigilante no telhado, com ou sem audiência e decidindo se mia, dorme de tédio ou desce resignado, fugirei da temática político-macroeconômica.

No lugar dela, avançarei naquilo que podemos denominar como a microeconomia do dia a dia, mais especificamente no que diz respeito ao caldeirão fervente das pequenas empresas (PE’s), suas vicissitudes, paradoxos e paradigmas.

Em resumo, um universo que de banal não tem nada e é abarrotado de importância, por um motivo muito razoável: sua abrangência. É nesta fervura que se fortalece a grande engrenagem geradora de empregos no Brasil e no mundo.

E não é em outro ambiente que se observa, seja em economias mais maduras, emergentes ou bolivarianas (aqui é o momento da carapuça, cada um coloca a que fizer mais sentido), um dos mais férteis e potentes vetores de inovação tecnológica da vida contemporânea.

Mas nem só de business glamour vive uma PE. Com ou sem sex appeal, seus desafios atravessam a força inexorável do tempo, com uma capacidade de perpetuação que intriga gestores, especialistas e livres observadores.

Em ambientes mais hostis aos negócios (o nosso país é internacionalmente reconhecido pela hostilidade ao ambiente de negócios), seu equacionamento adquire contornos de sobrevivência, onde a interferência (ou ausência total) do estado, a insegurança jurídica e os paradigmas de gestão e mentalidade aplicados ao funcionamento operacional, concorrem pelo prêmio “Quem atrapalha mais”.

Não obstante a bizarra competição, observamos uma crescente resiliência (e fortalecimento) dos pequenos – um cenário que desafia a lógica, os contratempos, por vezes a própria macroeconomia e invariavelmente soterram algumas banalidades corporativas de cartilha (que raramente sobrevivem a um olhar mais crítico).

E não é com pouco senso crítico que os gestores das PE’s são forjados. Ele é vital e parte integrante da condução cotidiana, pelo simples fato de que uma estrutura operacional PE não consegue sobreviver a determinadas ineficiências, e por conta disso não pode se lançar a experimentos bobinhos e outras mazelas corporativas.

É também fato que algumas arestas, se melhor aparadas seriam rapidamente convertidas em maior robustez econômica, maior potencial de crescimento, e quem sabe, em muitos casos, na obtenção do salvo conduto para figurar entre os médios e grandes.

E no cardápio de arestas, há diversidade para todos os paladares. Desde a dificuldade em se apurar e gerir um fluxo de caixa confiável, passando pela deficiência técnica em construir projeções factíveis, até os descuidos com os padrões contábeis e os controles internos.

Há muitas outras dificuldades, mas uma sopa dosada com bom senso, flexibilidade inerente ao pequeno porte, capacidade empresarial, bom respaldo técnico gerencial e uma boa prateleira de produtos ou serviços pode transformar a aventura do empreendedorismo em uma jornada de realização ímpar.

Isso sem falar na certeza inequívoca da contribuição para um capitalismo melhor e mais saudável. Neste contexto, poucas iniciativas pela sustentabilidade econômico-social seriam mais eficientes que as pequenas empresas. Até o próximo.

Foto business and measure words, Shutterstock.

Plataforma Brasil
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários