Pequenos valores hoje, muita diferença no futuroOntem tive uma constatação. Andando pela rua, encontrei uma moeda de R$ 0,10. Estava em uma praça perto de minha casa, caminho obrigatório de muitas pessoas para pegar os filhos na escola. Como estava adiantado, sentei em um banco na praça, bem próximo da moeda, e fiquei observando qual seria a atitude das pessoas diante daquele pequeno “tesouro”. Contei exatas 15 pessoas que passaram e, nem de longe, esboçaram qualquer reação diante da frágil moedinha. Nem parecia dinheiro[bb].

Faltavam 5 minutos para pegar minha filha e resolvi fazer outra experiência. Peguei a moeda e a guardei no bolso. Então tirei da carteira uma nota de R$ 50,00 e a deixei próximo ao banco. E fiquei esperando. Foi rápido: a primeira pessoa que passou já correu para pegar a nota. Como não sou bobo, peguei a nota antes e ainda fiz aquela cara de “sou mais rápido que você”. E, claro, depois expliquei o que relato também neste artigo.

A (des)valorização dos pequenos valores
Essa experiência – maluca, você tem razão – constatou o que já conversamos aqui  em outras oportunidades. As pessoas quase não dão atenção para os valores pequenos, o que é uma triste realidade. O fato é que, para muitos brasileiros, moedas que representam pequenos valores podem fazer muita diferença. Poucos se dão conta de como este dinheiro passa de forma tão rápida por suas mãos. Eu mesmo tenho um cofre onde guardo todas as moedas, que uso no final do ano para comprar um presente especial.

Sem contar que uma moeda de R$ 0,10 pode fazer muita falta. Experimente ir à padaria. Se faltar R$ 0,10, com certeza o caixa não aceitará uma goma de mascar sabor menta, guardada no seu bolso, como parte do pagamento. Não é? E no ônibus? O cobrador deixará você seguir o caminho faltando R$ 0,10? Não!

Moral da história
Queria eu achar todos os dias R$ 0,10. Essa é a diferença de quem pensa o futuro financeiro[bb] e multiplica seu potencial monetário. Claro, ninguém vive com apenas R$ 0,10 por dia e nem poderia – a idéia do artigo não é essa. Quero chamar sua atenção para valorizar seu dinheiro, pouco ou muito, R$ 100,00 ou R$ 0,10.

Muito cedo eu descobri que cada centavo tem seu valor e merece ser respeitado. Até hoje procuro seguir esse ensinamento, que foi um dos maiores presentes que recebi de meus pais. E esse pode ser o melhor presente que você pode passar a quem você ama nesse Natal. Repare que não se trata de deixar de viver ou gastar com conforto, bem estar e qualidade de vida, mas aprender a valorizar as pequenas razões que podem nos trazer felicidade[bb]. Afinal, R$ 0,10 também é dinheiro. E dinheiro ajuda, e muito, na felicidade da família. Que dirá o cofre lá de casa, prestes a ser estourado.

Crédito da foto para stock.xchng.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários