Personalidade do mês - Filipe DeschampsHoje você lerá uma entrevista muito interessante, realizada pela Revista Visa Vale (CBSS) e reproduzida aqui sob autorização, com Filipe Deschamps, criador e mantenedor do portal InsiderNews – um espaço de discussão, leitura e muita informação sobre o investimento em valores mobiliários e o mercado de capitais em geral. Filipe insiste na necessidade de mantermos um controle rígido das finanças, alerta sobre os juros e facilidades dos empréstimo e demonstra grande apreço pela educação financeira e cuidado com o dinheiro[bb]. Confira e deixe seu comentário.

Revista Visa Vale: Como uma pessoa deve planejar a utilização de seu salário? Você recomenda um esquema de porcentagem, destinando parte para poupança, parte para diversão e parte para contas? Como você costuma recomendar às pessoas?
Filipe: Esta, como todas as outras perguntas, pode ter respostas polêmicas, pois depende muito do cenário e da perspectiva de cada pessoa. Uma situação que todos nós enfrentamos: da mesma forma que a Bolsa de Valores[bb], o saldo final de nossas finanças também se comporta como uma “renda variável”, pois sem muita previsão temos altos e baixos. Nestas horas, os “altos” são muito bem vindos obviamente, porém os “baixos” podem abrir feridas que crescem ao longo dos meses.

Não tendo saldo suficiente para cobrir estas feridas, os buracos aumentam de forma desnecessária e perigosa. Então, uma coisa é certa: poupar é necessário! Tanto para conseguir cobrir fatos imprevisíveis como para ter disponíveis valores a serem aplicados. Quanto à quantidade, não adianta definir porcentagem ou valores fixos, pois para um salário 10% pode ser uma boa quantia, enquanto para outro pode representar pouca diferença. O que deve ser feito é destinar uma quantidade que realmente faça diferença, seja no curto ou longo prazo. Isto é muito fácil para alguém que está começando sua carreira, porém mais difícil quando você já está num ciclo de dívidas interminável. Comece o quanto antes a poupar, pois este é um passo fundamental para decidir onde aplicar.

RVV: O que as pessoas devem evitar no dia-a-dia para não se perderem? Algumas atitudes podem colocar a pessoa em uma bola de neve de dívidas que se arrastam por meses ou anos, certo? É o caso de quem paga só uma parte da fatura do cartão de crédito, ou quem se acostuma a utilizar o limite da conta corrente.
F: Algo indispensável para não perder controle é fazer o controle! Parece algo simples e óbvio, mas as pessoas não registram as informações e não têm controle das próprias finanças. É como alguém que deseja fazer um regime, porém não tem controle algum sobre o seu peso. Caso ele não saiba com que peso iniciou, qual peso diminuiu/aumentou e qual o peso que pretende atingir, como ela irá saber em qual situação se encontra? Todo mundo gostaria que finanças fosse algo simples como medir uma unidade de peso, mas infelizmente não é.

No dia-a-dia, deve-se registrar tudo que se gasta, separado por contas. É algo monstruoso no início e muitas pessoas se perguntam se tem capacidade suficiente para isto. Eu lhe respondo: é simples! Foi almoçar? Anote quanto gastou na conta “Alimentação”. Abasteceu o carro? Anote o gasto na conta “Transporte”. Comprou algo supérfluo? Anote os gastos em uma conta específica para isso. E vá fazendo isso seguidamente. Assim você já irá dar um imenso salto no controle de suas finanças, sabendo de forma superficial onde está o maior buraco negro.

O melhor de tudo é saber se as medidas que tomou para melhorar a saúde das suas finanças estão de fato fazendo efeito ao longo dos meses. Assim que achar necessário, aprimore o controle com novas contas. Faça isto todo dia, crie o hábito de registrar os gastos logo após de realizá-los – pois, do contrário, acabará esquecendo.

RVV: Qual a melhor forma de poupar? Investimento na bolsa, fundos de renda fixa, poupança comum?
F: Esta é uma pergunta sem resposta exata. Pergunto a você: qual a melhor forma de se dirigir um carro? É claro que responderíamos que a melhor forma é escolher o jeito mais seguro, respeitando o limite de velocidade. Porém se você estiver atrasado para uma reunião que irá decidir o rumo da sua carreira na empresa (podendo perder o emprego se não aparecer), você irá obedecer todos os limites de velocidade?

Logo, para responder esta pergunta é necessário analisar cada situação especificamente, pois, para cada uma, deve-se achar uma solução que retorne reais diferenças às suas finanças. Nestas horas, o fator “prazo” é que irá decidir qual modalidade deve escolher. Porém, tome cuidado com a relação entre prazo, risco e rentabilidade – afinal, dirigir o carro em alta velocidade irá aumentar em muito o risco de você batê-lo, ter um belo prejuízo e, na pior situação, perder o emprego.

RVV: Qual a melhor técnica para controle de gastos? Você utiliza ou indica a utilização de algum tipo de ferramenta?
F: Como citado na pergunta anterior, a melhor técnica é fazer o controle. Sem controle você estará perdido no meio da corrida, sem saber para qual lado correr. Com um simples editor de planilhas ou até mesmo com um caderno, faça inicialmente a separação dos seus gastos no menor número de contas possível, identifique onde está o seu real problema e onde conseguirá otimizar os gastos com maior facilidade. Não faça o erro de querer dar o passo maior que a perna e adquirir produtos complexos ou qualquer outra coisa que lhe faça perder mais tempo em aprender ou produzir resultados do que interpretá-los. Deixe isto para um próximo passo.

RVV: Para grandes compras, como é a melhor maneira de se organizar? Elas causam impacto no orçamento e exigem uma mudança de comportamento de compra, certo? Exemplos: compra de casa, carro, viagens e etc.
F: Neste caso, deve-se aprimorar um pouco mais a sua forma de controle, implementando o conceito de fluxo de caixa. Antes de se assustar com o nome, o fluxo de caixa é algo bastante simples. Trata-se de um histórico do seu dinheiro[bb]. Bastante simples, não? O único detalhe é que neste histórico você poderá colocar registros que acontecerão no futuro. Desta forma, você saberá quanto dinheiro terá nesta ou em determinada data. Registre previamente os salários a receber e os gastos que terá em cada período e assim saberá até que ponto poderá assumir gastos de grande impacto sem ficar com o saldo negativo nesta ou naquela data.

RVV: Sobre compras a prazo, o que evitar? Aquelas promoções milagrosas de grandes lojas escondem alguns truques, certo? Por outro lado, parece ser a única opção para quem ganha pouco. Você concorda? Que cuidados você indica nesses casos?
F: Exato, evite pagar por um dinheiro mais caro. Juros são ótimos para quem os recebe, mas péssimos para quem os paga. Porém, dependendo do caso, não há muito o que fazer: a pessoa só conseguirá comprar o objeto que deseja se diluí-lo em parcelas. Ainda assim, acho prudente tentar economizar, esperar e comprar o bem à vista. De qualquer forma, faça seu fluxo de caixa e registre todas as parcelas. Promoções não devem ser evitadas quando, é claro, trazem um real ganho ao comprador. O que não se deve fazer é se “beneficiar” de múltiplas promoções a ponto de transformar seu fluxo de caixa em um desenho negativo – onde há mais saída de dinheiro que entrada.

RVV: E sobre empréstimos, especialmente de financeiras. Que cuidados devemos tomar?
F: Cuide apenas do seu futuro. Lembre-se que o dinheiro de qualquer empréstimo é de certa forma um dinheiro mais caro do que aquele que você colocou em mãos. Pegar R$ 5.000 emprestados no banco significa ter muito mais do que isso para pagá-los. Juros serão embutidos e você deve tomar muito cuidado para não se atrapalhar na hora de pagá-los. O empréstimo pode ser útil quando você tem uma boa margem de segurança e sabe o que acontecerá no futuro – tem seu fluxo de caixa muito bem feito.

Finalizando, primeiro passo faça um controle simples, algo que consiga administrar – não tenha vergonha de fazer algo realmente simples. Para facilitar e gerenciar o futuro, faça um fluxo de caixa. Veja onde estão os maiores gastos desnecessários e otimize-os (alguns terão que ser cortados). O saldo que conseguir com estas medidas deve ser aplicado conforme suas necessidades e objetivos, para que gere uma espécie de pequeno salário que lhe auxilie a tampar as feridas que são abertas inesperadamente em suas finanças.

bb_bid = “74”;
bb_lang = “pt-BR”;
bb_name = “fixedlist”;
bb_keywords = “bolsa de valores,investir dinheiro,terapia financeira,pai rico,cerbasi,mercado de ações”;
bb_width = “600px”;
bb_limit = “6”;

Entrevista reproduzida com autorização. Crédito da foto: Divulgação

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários