Continuam surgir  pesquisas que medem a avalição do governo Jair Bolsonaro começam a ser divulgadas.

A pesquisa mensal XP/Ipespe foi divulgada nessa segunda-feira (18) e mostrou que antes de completar 3 meses de governo o presidente Jair Bolsonaro apresentou queda em sua aprovação e aumento da rejeição.

A pesquisa foi realizada entre os dias 11 e 13 de março ouvindo 1.000 entrevistados em todas as regiões do país, e quando comparadas com os números do levantamento de fevereiro mostram que as avaliações positivas “Ótimo e Bom” caíram de 40% para 37%.

Já os que consideram o governo de forma negativa subiram de 17% para 24% levando em conta o mesmo período.

Pautas importantes pela frente: reforma da Previdência

O presidente Jair Bolsonaro que se encontra em viagem oficial aos Estados Unidos terá pela frente uma batalhas importantes, a principal é a reforma da Previdência.

Um dos trunfos da equipe econômica para aprovação da reforma seria a participação efetiva do presidente convencendo a população da importância da reforma e também atuando de maneira firme na negociação com o Congresso Nacional.

Durante os primeiros dias de governo surgiram fatos que fizeram elevar o nível de desconfiança da população e criaram desgaste dentro da própria base do governo.

A interferência dos filhos do presidente em assuntos de Estado é um dos pontos que mais preocupam importantes membros do governo.

O escândalo das candidaturas laranjas do PSL, partido que elegeu Bolsonaro, também ganhou destaque na imprensa e a forma como o presidente vêm preservando o atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio é motivo de desconfiança, principalmente após a saída do ex-ministro da Secretária-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno.

Paulo Guedes entre militares e “Olavetes”

Ao mesmo tempo, surgem rumores que mostram intensa disputa entre militares e os alunos do filósofo  Olavo de Carvalho, que afirmou recentemente se “o governo continuar como está por mais seis meses, acabou.”

Embora desgastado, Olavo de Carvalho (um dos principais mentores intelectuais de Bolsonaro) conseguiu derrubar um dos principais assessores do atual ministro da educação Ricardo Veléz Rodrigues.

O próprio Veléz também foi responsável por um desgaste desnecessário ao governo quando pediu que as escolas filmassem crianças cantando hino nacional.

No meio de tudo isso o mercado financeira se agarra cada vez mais a figura de salvador da pátria de Paulo Guedes.

A expectativa de que as reformas possam caminhar e o país volte a crescer continuam firmes mas as disputa pelo poder dentro do governo já se tornaram um perigo real e imediato.

Um presidente desgastado e com baixa popularidade pode comprometer todo o processo.

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários