O ex-ministro Paulo Bernardo (Planejamento e Comunicações no governo Lula), marido da senadora Gleisi Hoffmann (PT), foi preso pela Polícia Federal nesta quinta-feira (23), em Brasília, na Operação Custo Brasil. Essa operação é o primeiro desdobramento da Lava Jato em São Paulo. A ação decorre do fatiamento de uma investigação que estava no Supremo Tribunal Federal.

O ex-ministro Carlos Gabas, foi alvo de condução coercitiva. A PF também levou para depor o jornalista Leonardo Attuch. O advogado Daisson Portanova, ligado à Paulo Bernardo, foi preso preventivamente.

Essa é uma ação conjunta da PF com o Ministério Público Federal e a Receita Federal do Brasil, para apurar o pagamento de propina proveniente de contratos de prestação de serviços de informática na ordem de R$ 100 milhões, entre os anos de 2010 e 2015, para pessoas ligadas a funcionários públicos e agentes públicos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão – MPOG.

Militantes do partido fazem um protesto em frente da sede do PT e acusam a PF de perseguir a sigla. Foi estendida uma faixa com a imagem do Eduardo Cunha com os dizeres “tchau ladrão” e a pergunta “e o Temer”?

Advogados já foram acionados pelo partido para tentar acompanhar a operação. O presidente nacional do partido, Rui Falcão, estava em Brasília e volta hoje para São Paulo.

Contra déficit na Previdência governo quer taxar agricultura

O governo Temer, estuda incluir na sua proposta de reforma da Previdência Social, elevar a taxação sobre o setor do agronegócio para reduzir o déficit do sistema de aposentadorias no país.

A medida é defendida pela área econômica do governo e pelas centrais sindicais. A ideia é acabar com a isenção do agronegócio no pagamento de contribuição previdenciária sobre sua receita obtida com exportação.

Simulações feitas por técnicos estimam que, a medida poderia gerar uma receita extra de R$ 6,5 bilhões por ano para o caixa da Previdência.

A proposta é criticada pelo Ministério da Agricultura e pelo setor ruralista, sob o argumento que prejudicaria as exportações do país.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, ainda não há uma decisão final do governo sobre a proposta, que pode ser definida apenas no próximo mês.

Temer busca agenda positiva para governo

Em busca de melhorar o ambiente econômico antes do julgamento final do impeachment, o presidente interino, Michel Temer, encomendou à equipe medidas econômicas que lancem uma agenda positiva em 15 dias.

Entre elas devem estar, a diminuição das restrições para que estrangeiros comprem terras no Brasil, a profissionalização das agências reguladoras e a renovação de concessões com compromisso de novos investimentos.

A encomenda foi feita na primeira reunião do que o presidente interino está chamando de seu “comitê econômico” – que reúne os ministros da Fazenda, do Planejamento, Relações Exteriores, Agricultura, Comunicações, Transportes e Minas e Energia.

Temer avalia que precisa melhorar a confiança na economia para consolidar sua posição no governo e evitar surpresas no julgamento do impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff.

Segundo assessores, uma garantia de retomada evitará que senadores que atualmente se declaram indecisos acabem votando contra o afastamento definitivo de Dilma.

Mercado financeiro

O dia começou agitado com a prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, marido da senadora Gleisi Hoffmann (PT), em mais um desdobramento da operação Lava Jato.

No exterior, aumentou a expectativa da permanência do Reino Unido na União Europeia, após as pesquisas finais que antecederam o referendo que está sendo realizado no dia de hoje.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, operava as 11h10 em alta de +0,98% com 50.647 pontos, já a moeda americana estava em baixa de -0,36%, negociada a R$ 3,36.

 

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários