Como esperado pelo mercado, o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil em 2015 foi decepcionante. A retração de 3,8% em relação a 2014 apontada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) foi o pior resultado apresentado desde que a atual série histórica passou a ser apresentada, em 1996.

Considerando a série anterior, é o pior desempenho desde 1990 durante o governo Collor, quando o recuo do PIB chegou a 4,3%.

Acompanhe abaixo gráfico que aponta a evolução do PIB no Brasil entre os anos de 2010 à 2015 (Fonte: globo.com).

PIB despenca e Brasil tem pior resultado em 25 anos

Entre os setores pesquisados, somente o setor agropecuário cresceu em 2015, alta de 1,8% em relação 2014. Os números da indústria foram negativos com queda de 6,2% muito por conta da retração de quase 8% do setor de construção.

Desconfiança e falta de perspectiva no futuro

O resultado negativo do PIB também sofreu influência da queda dos investimentos. A retração na formação bruta de capital fixo de 14,1% foi atribuída principalmente à queda da produção interna e da importação de bens de capital.

No ano anterior, o recuo havia sido bem menor, de 4,5%, ainda assim número considerado expressivo. Com isso, a taxa de investimento caiu de 20,2% em 2014 para 18,2% do PIB, no ano seguinte.

PIB despenca e Brasil tem pior resultado em 25 anos

Entre os fatores que reduziram a confiança do setor privado para investir estão a falta de perspectiva de recuperação da economia, os maiores custos de financiamento e a própria incerteza política com possíveis desdobramentos ainda mais significativos a partir de novas delações de diretores de empresas envolvidas em denúncias de corrupção e políticos.

Já o consumo do governo que inclui as esferas municipais, estaduais e o governo federal apresentou, por sua vez, queda de 1% em 2015. O ano foi marcado por significativa queda de arrecadação e cortes de despesa em diversas esferas.

De acordo com a última projeção divulgada no boletim Focus do Banco Central os economistas consultados apontam nova retração de aproximadamente 3% em 2016, com inflação de 7%. Vamos acompanhar.

Foto “PIB”, Shutterstock

Redação Dinheirama
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários