É consenso entre os orientadores financeiros que quanto mais jovem começamos a adotar a pratica do planejamento financeiro, mais fácil fica a tarefa de reunir elementos que favorecem o crescimento financeiro pessoal, a formação de patrimônio e a conquista de uma aposentadoria mais tranquila.

Por isso, adotar o planejamento financeiro desde cedo facilita muito a vida das pessoas. Um grande trunfo a favor é o próprio tempo, afinal quanto antes, melhor para lidar com as expectativas e também aproveitar a oportunidade de investir em ativos mais arriscados e também com rentabilidades atraentes no longo prazo.

Recentemente, escrevi um artigo falando sobre algumas questões importantes que gostaria de saber sobre dinheiro aos 18 anos. Hoje o artigo é focado nas pessoas que vivem um outro momento e estão próximos dos 40 anos. Afinal, quais seriam as implicações de adotar o planejamento financeiro com essa idade?

Leitura recomendada: Guia de planejamento financeiro para desorganizados

Planejamento financeiro vale à pena em qualquer idade

Sendo bem direto, quem já passou dos 40 anos pode e deve adotar a educação financeira como um estilo de vida. O planejamento financeiro é vital para qualquer circunstância e momento da vida, simples assim.

É claro que à medida em que a idade avança, o planejamento financeiro muda e precisa levar em conta algumas variáveis importantes.

Quem tem 18 anos, muito provavelmente vive um momento de busca de trabalho e a renda é consideravelmente menor; quem tem 28 anos ainda está se estabelecendo e construindo família; quem tem 40 anos vive um momento especial, com a carreira provavelmente estabelecida e família muitas vezes já construída.

É natural que após os 40, assuntos como aposentadoria e independência financeira comecem a receber uma atenção especial. Com o tempo, os desejos de consumo e a realidade financeira mudam, então existem grandes oportunidades para sempre planejar financeiramente sua vida.

Ferramenta recomendada: A melhor e mais completa planilha de controle financeiro (download gratuito)

Uma vida tranquila depende de você

O planejamento financeiro depois dos 40 anos pode ser a oportunidade perfeita para definir como será a vida após a aposentadoria. Afinal, quais serão as suas prioridades? Dedicar mais tempo a família? Encontrar um projeto para se dedicar em que a questão financeira não seja tão importante?

A maioria das pessoas no Brasil não se preocupa e nem dá o mínimo de atenção a esses temas tão importantes e acabam passando por dificuldades quando se aposenta. Depois dos 40, é preciso dar atenção aos aportes e investimentos para o futuro, bem como às despesas e hábitos financeiros.

Continuidade familiar, um tema importante

Alguns assuntos são tratados pelas pessoas como verdadeiros tabus. Um deles é a necessidade de fazer um seguro de vida. O seguro de vida é pouco discutido no país e um bom planejamento financeiro deve levar em conta esse produto, especialmente acima dos 40, quando provavelmente já existem dependentes.

O seguro de vida pode significar a garantia de manutenção de uma vida tranquila para aqueles que amamos, especialmente durante ou depois de um momento delicado. Além disso, aspectos como formação do patrimônio, planejamento tributário e testamento também devem permear as discussões familiares a partir dessa fase da vida.

Leitura recomendadaSeguro de Vida: Um Ato de Amor e Humildade em Família

Conclusão

O planejamento financeiro é um grande benefício que deve ser encarado por todos com carinho e dedicação, independente da idade. Ninguém consegue prosperar por muito tempo sem o mínimo de educação financeira, sem dedicar tempo e atenção ao que quer realizar e conquistar.

Comece a fazê-lo agora, não importando sua idade, e esteja atento às necessidades e oportunidades de cada período da vida. Até a próxima!

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários