Importância do Planejamento FuturoAngela comenta: “Navarro, você e sua equipe têm feito um trabalho fantástico de conscientização e educação financeira. Neste sentido, gostaria de saber se pode condensar em uma resposta (ou artigo) as principais dicas ou dúvidas inerentes à preparação de um planejamento financeiro eficiente e inteligente. Ah, adoro quando você usa perguntas para resumir o que devemos fazer. Muito obrigada”

Diante da oportunidade de aprendizado, quase sempre optamos por aqueles caminhos mais rápidos, mais simples e didáticos. Por que não investir tempo também nas atividades menos interessantes, mas igualmente importantes para o sucesso financeiro[bb]? A resposta nem sempre é simples e direta, mas pode significar a verdadeira barreira entre você e sua capacidade de controlar seu dinheiro.

Um bom planejamento financeiro exige energia, disposição, paciência e muita dedicação. Atitudes e comportamentos comumente usados em diversas atividades, mas facilmente esquecidos quando o assunto é dinheiro. Não é assim? Somos tão pró-ativos quando o assunto é presentear um ente querido, mas deixamos para depois a necessidade de avaliar se podemos mesmo arcar com os custos do mimo.

Planejar não será sempre fácil
O Brasil e sua intrincada realidade financeira e tributável são um exemplo da importância de planejar. Segundo pesquisas do SEBRAE, o empreendedor brasileiro que vê seu negócio fechar peca por não levar em consideração diversas variáveis de mercado e por não colocá-las frente à frente com seus planos para a empresa. Falta planejamento. O empresário faz isso de propósito? Nem sempre.

Planejar é sempre importante!
Gosto de uma sequência de afirmações, infelizmente recebidas como de autoria desconhecida, que refletem a perfeita harmonia existente entre a necessidade de realização, o planejamento e o sucesso:

“Quem planeja, antecipa. Quem antecipa, se prepara. Quem se prepara, sabe onde pode melhorar. Quem sabe o que precisa fazer, realiza. Quem realiza, vence!”

A capacidade de planejar cria a oportunidade de enxergar o futuro. Deixando o misticismo de lado, isso significa criar condições, hoje, para que o futuro financeiro se aproxime de forma mais previsível. Quando o assunto é dinheiro[bb], ser previsível não tem nada de enfadonho. Pelo contrário, significa ser inteligente.

Mantendo o didatismo característico dos textos deste blog, proponho algumas reflexões acerca dos mais importantes passos para bom planejamento financeiro familiar:

O que você quer? Você tem objetivo(s)? O começo de um bom planejamento está sempre ligado à conquista futura, razão da necessidade de tentar prever o futuro. Você provavelmente trabalha em uma empresa cujas metas e objetivos são traçados e acompanhados todo ano, não é? Já experimentou fazer isso com a sua vida? Pronto, está dado o pontapé inicial.

Quando você quer? Se na empresa você precisa realizar metas ao longo do mês, do trimestre e do ano, na vida pessoal você precisa estabelecer os prazos para as conquistas de seus objetivos. Se você quer alguma coisa, o mínimo que também deve determinar é quando será possível conquistá-la. Ah, por favor, sem essa de “tudo agora”.

Quanto vai custar? Que tal esquecer que existem tantas opções de crédito e financiamento por ai? Comece a investigar o valor real das coisas e, principalmente, a valorizar seu suado dinheiro. Planeje o objetivo, seu prazo e também quanto vai precisar poupar e investir para concretizá-lo.

Como obter os recursos e a ajuda necessária para chegar lá? Buscar conhecimento, ler obras especializadas, assistir palestras, conhecer novas pessoas. Quando aceitamos que é praticamente impossível atingir nossos objetivos sozinhos, a viagem fica mais divertida e interessante. Liste as pessoas e atitudes que podem fazer a diferença e corra atrás delas.

Leia cada uma das perguntas novamente e faça uma reflexão. Em seguida, anote-as – e também suas respostas – em um pequeno pedaço de papel. Use as anotações como uma bussóla: ela, sozinha, não leva você a lugar algum, mas é capaz de mostrar diferentes direções e o norte. Durante a caminhada, lembre-se de comemorar cada pequena vitória, seja ela um objetivo alcançado, um prazo cumprido ou uma compra sem dívidas.

Planejar significa a imposição voluntária de regras de controle e de pontos de verificação, mas também representa o principal passo em prol da liberdade e independência financeira. Resumir a tarefa de planejar não foi fácil, confesso, mas foi bastante divertido. Acabei de revisar minhas respostas para as perguntas propostas. Puxa, tenho muito trabalho a fazer. E você?

Crédito da foto para stock.xchng.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários