Mesmo com o cenário econômico não favorável, os brasileiros não deixam de planejar viagens de férias. Um levantamento da empresa Ipsos Connect mostra que 70% dos entrevistados pretendem fazer viagens nacionais e internacionais nos próximos 12 meses.

“As pessoas prezam por um momento de descanso e acreditam que viajar é a melhor forma de se desligar dos problemas e se divertirem com a família”, afirma Diego Oliveira, diretor da Ipsos.

Com a proximidade do mês das férias – dezembro – muitas pessoas se empolgam e se deixam levar pela euforia do momento, o que pode acabar comprometendo o orçamento financeiro.

De acordo com o educador financeiro Reinaldo Domingos, organização é fundamental para garantir as férias dos sonhos sem comprometer demais a renda ou se encher de dívidas.

“Planejamento! Essa deve ser a palavra de ordem para que se consiga realizar os sonhos sem desrespeitar o padrão de vida e, assim, não ser surpreendido de forma negativa no começo do próximo ano”, diz Reinaldo.

O primeiro aspecto a ser levado em consideração é realizar um diagnóstico de suas finanças para ter ciência de quais são seus ganhos e suas despesas.

“Sabendo em que situação financeira você se encontra, é mais fácil definir quanto poderá separar para a viagem de fim de ano. Com os valores em mãos, é hora de decidir o destino que se encaixa em seu orçamento”, explica o educador financeiro.

Após a definição do local da tão sonhada viagem, o próximo passo é pesquisar preços e estimar os gastos.

É muito importante munir-se de muitas informações através de guias, sites sobre roteiros, dicas de hospedagem e alimentação com descontos, entradas promocionais ou gratuitas em museus e pontos turísticos para otimizar as despesas e aproveitar mais o período gastando menos.

Viajar fora da alta estação e aproveitar promoções de companhias aéreas, rodoviárias ou marítimas podem ser ótimas alternativas para baixar os custos.

Leitura recomendada: Guia de viagens na crise

Depois, é hora de organizar um orçamento com todos os itens. Quanto mais detalhado, melhor. A partir daí, você terá o valor alvo a ser guardado. Não se esqueça dos seguros viagens necessários e de deixar uma margem, de pelo menos 10% do orçamento, para imprevistos.

No momento da contratação dos serviços, a dica é negociar preços e formas de pagamento. Sempre há espaço de reduções sobre o orçamento desenhado inicialmente e oportunidades de descontos para pagamentos à vista.

Se você ainda não possui todos os recursos, será preciso fazer alguns sacrifícios em prol da tão esperada viagem de férias. Para isso, a recomendação é fazer cortes nos gastos da rotina.

Evitar ir ao shopping, não comprar nada que seja dispensável no momento e cortar as refeições fora de casa são algumas mudanças que podem ajudar a conseguir o dinheiro que falta.

Leitura recomendada: Sua viagem: qual a melhor hora para comprar dólar

Férias sem gastar muito

Mesmo se a sua família estiver em situação de endividamento, é possível aproveitar as férias sem gastar muito. O descanso é muito importante para repormos nossas energias e trabalharmos melhor.

Por isso, mesmo que você esteja com dívidas ou não tenha reservas suficientes para fazer a viagem dos sonhos, use sua criatividade para curtir o período de recesso da melhor forma.

Visitar amigos, ir ao parque com a família, programar um piquenique, pesquisar eventos culturais e oficinas gratuitas da cidade como museus e exposições são algumas sugestões.

Outra ideia é programar um passeio à praia ou ao campo ou organizar uma festa com amigos e dividir os custos. Pesquise formas alternativas para se divertir, estar com quem você gosta e descansar.

Ferramenta recomendada: planilha gratuita de controle financeiro

Mas não entre ou aumente dívidas para fazer algo fora de suas condições financeiras. Isso só fará com que o momento de lazer se transforme em um pesadelo. “O importante é sempre ter em mente que a diversão não depende apenas do dinheiro, mas, sim das pessoas que estão conosco nesses momentos”, afirma Domingos.

Foto “Dream trip”, Shutterstock.

Isabella Abreu
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários