Planejando suas férias: cuidado para não trocar milho verde por pepinoEstá chegando o fim do ano e o início das férias, hora em que você precisa tomar cuidado para não se entusiasmar com os gastos, sem avaliar o impacto no seu bolso. Normalmente muitas famílias acabam se endividando em consequência dos excessos ao entrar em férias: passada curtição e o período de festas chegam às nossas casas todas as despesas e o perigo da inadimplência para os desorganizados financeiramente. Por que isso acontece? A principal causa é o descontrole do orçamento doméstico e a falta de um planejamento financeiro para os objetivos traçados e para o ano que está começando.

Muita gente vai para a praia[bb], não é verdade? Então é um sorvete aqui, uma água de coco ali, um passeio de escuna, um “happy hour” com os amigos ao final de todas as tardes, entre outras coisas boas que fazemos quando estamos em férias, e depois a descoberta de que o dinheiro não deu. Vem dívida por ai.

Você está preparado para estes gastos? Com o exagero nestas despesas aparentemente sem importância você sobrecarrega seu orçamento, fazendo com que ao final do mês sua renda não seja suficiente para o pagamento das principais prestações, mesmo tendo recebido o adicional das férias – um terço a mais para os assalariados.

A renda aumenta, mas neste período continuamos a pagar luz, telefone[bb], condomínio etc. Ah, sim, neste período cresce o consumo de combustível, os gastos com alimentação e as demais despesas corriqueiras, sem falar no aluguel da casa na praia e o que mais aparece quando estamos curtindo o sol e a família.

Costumo sempre fazer uma brincadeira: “Cuidado para não trocar o milho verde que você comeu na praia pelos pepinos (cartão de crédito, cheque especial estourado, matrícula da faculdade, material escolar, despesas de casa, luz, telefone etc.) ao retornar das férias”. Divirta-se, mas com consciência e planejamento.

O ano sempre acaba, outro começa, é assim que funciona. E se você não se planejou, começam todos os problemas novamente. Muitas pessoas acabam se entusiasmando com o Natal, Ano Novo e as férias e gastam muito mais do que ganham.

O mês de janeiro é normalmente o mês mais pesado quando se trata de despesas, pois é nele que temos que desembolsar mais dinheiro. Basta se lembrar de todas as despesas que já descrevi acima, além do IPTU, IPVA (que, aliás, apresentam descontos bastante convidativos), viagens, compras do final do ano etc.

Vamos, ainda há tempo! Reserve um ou dois dias de suas férias e faça um planejamento familiar. Reúna seus familiares, discuta sobre o assunto lhes dizendo que não é nada inteligente passar as férias numa boa e depois ter que correr atrás o resto do ano. Anote suas despesas por pelo menos dois meses para ver para onde está indo o seu dinheiro e veja os resultados já no terceiro mês, controlando seus gastos sem exageros.

Gastando sempre menos do que você ganha e pagando a si mesmo algo entre 5% e 10% de sua renda (formação da sua poupança) você desfrutará de momentos cada vez melhores e mais felizes. Afinal, não se consegue nada sem algum sacrifício. Mude seus hábitos de consumo[bb], preservando sua qualidade de vida, e finalmente entre um Ano Novo, agora planejado. Boas Festas e Feliz Ano Novo!

Crédito da foto para freedigitalphotos.net.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários