Nesta última semana nasceu meu sobrinho João Pedro. E como todo nascimento nos faz refletir sobre a grandeza da vida – e as suas naturais demandas – este artigo é um convite para pensarmos nas coisas que a escola naturalmente não ensina às pessoas, mas a vida exige que aprendemos na marra.

Desta forma, acaba sendo muito mais fácil que nós, como adultos, consigamos ensinar ou estimular o aprendizado de ao menos algumas delas às crianças que nos cercam.

Mas não nos enganemos: muitos pontos nós mesmos ainda estamos aprendendo, e aprenderemos durante todo o curso da vida, mas compartilhar a necessidade de aprendizado em algumas áreas pode fazer a diferença para ajudar a formar um adulto que saberá viver muito melhor pelo mundo e dentro de si mesmo. O que você pensa sobre isso?

Leia agora: Pais: A difícil missão de criar laços e não nós

Separei a seguir 5 pontos importantes que a escola não ensina e que podemos ensinar às crianças ao nosso redor.

Vale lembrar, que exemplos são muito mais importantes do que qualquer teoria, por isso, em muitos casos, aprenderemos juntos: nós e as crianças. E, em mais casos ainda, são as crianças que acabarão nos ensinando aquelas coisas que já esquecemos porque, cá entre nós, a sabedoria de quem ainda não está contaminado pelas mazelas do mundo pode ser muito maior que a nossa! Vamos em frente?

Aproveite para ler: Presentear: um ato de amor ou uma armadilha de consumo?

1 – Ter empatia (ou compreender o outro)

Conseguir entender que cada um é cada um e procurar olhar para o outro com olhos amigáveis, sem tanto julgamento, é uma qualidade para poucos.

Me arrisco a dizer que em um mundo mais empático muitas coisas já estariam sendo mais bem resolvidas porque tentaríamos nos colocar, ao menos um pouquinho, no lugar das outras pessoas. Isso não significa assumir os problemas do outro, mas procurar entender um pouco mais o lado do outro. E isso, em qualquer ambiente, pode fazer diferença imensa, seja na família, no trabalho ou pelo mundo.

2 – Empreender (ou saber se virar)

Pois bem, eu diria que saber se virar em tempos difíceis do mercado é um ponto essencial.

Normalmente não aprendemos a empreender no começo da vida, a não ser por brincadeira ou em casos especiais, mas pode fazer diferença brutal na vida de alguém saber ser criativo e persistente para cuidar do próprio sustento.

3 – Ser forte (e flexível)

Você já deve ter ouvido mil vezes aquele lance de que a gente terá o que busca, mas antes a vida nos ensinará a ser forte.

E a verdade é que, fora da casa dos pais, cada ser humano terá que lidar com uma série de sentimentos e acontecimentos que muitas vezes não são tão gentis assim. Eu observo que as pessoas que mais sabem se virar em momentos de crise são aquelas que não tiveram tudo nas mãos e que procuram se adaptar às mais diversas fases. Muitas vezes, o maior gesto de amor que alguém pode dar é preparar amorosamente o outro para o mundo, pois será necessário.

Assista: Dica de leitura #4: Uma Questão de Caráter, de Paul Tough

4 – Entender de dinheiro

E aí chegamos à nossa tão falada educação financeira. Se você está aqui no Dinheirama é porque já deve ter aprendido na prática que saber lidar com dinheiro é essencial.

Quem lida mal com dinheiro acaba vivendo um terror nas mais diversas áreas da vida. Muitas vezes afeta quem não tem nada a ver com isso e, ainda, se torna alguém que não acredita mais que pode realizar sonhos. É muito importante, portanto, estimular este aprendizado assim que possível.

Leia também: DinheiramaCast 3ª Temporada – 5 Passos para o Sucesso Financeiro

5 – Compreender que é responsável pelo próprio caminho

Finalmente, é importante estimular o entendimento que, no fim das contas, especialmente quando nos tornamos adultos, cada um de nós é responsável pelo próprio caminho.

Em geral só aprendemos isso depois de muita terapia ou processos de autoconhecimento, mas poderia ser mais fácil, não? Tenho certeza que nossos pais sempre tentaram fazer o melhor que puderam, assim como nós, como adultos, também tentamos repassar o que melhor sabemos.

Mas ninguém tem a receita da felicidade e nem a fórmula do sucesso, por isso, é importante que cada um de nós saiba que – assim que se torna adulto – é responsável por ir atrás dos próprios sonhos e das próprias melhorias. Não é fácil nem nunca será, mas é essencial!

Janaína Gimael
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários