Home Meio Ambiente Por dentro da COP28: Lições transformadoras para o mundo dos negócios

Por dentro da COP28: Lições transformadoras para o mundo dos negócios

A sustentabilidade não é apenas a chave para a sobrevivência, mas também para o crescimento e a prosperidade duradoura dos negócios

por Redação Dinheirama
0 comentário
Trevo

A Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP28) foi mais do que apenas uma reunião global para discutir questões climáticas. Foi uma jornada transformadora que nos proporcionou insights valiosos sobre o futuro dos negócios e da sustentabilidade.

Adilson Velasco e Pricilla Zacharias estão à frente da Trevo Reciclagem e são sócios do Equity+ Club, um ambiente de fomento ao empreendedorismo e desenvolvimento de grandes iniciativas como esta que levou a Trevo Reciclagem a representar o país no evento mais importante para o seu segmento.

Neste artigo, vamos explorar as três ideias-chave que emergiram nessa jornada, destacando as mudanças que estão moldando o mundo dos negócios. Informações trazidas em primeira mão pela empresa nacional que contou com uma participação notável e representou o Brasil nesta edição do evento, a Trevo Reciclagem.

Em sua participação, a Trevo Reciclagem destacou a missão sustentável, o foco em inovação e a relação renovada com o plástico apresentando sua jornada ESG e a relação entre sustentabilidade e competitividade. Além de demonstrar como previne a poluição e promove práticas ecológicas e evidenciar a dualidade do plástico como recurso crucial e desafio ambiental global.

1. O Surgimento do Capitalismo de Stakeholders: Uma Mudança de Paradigma Empresarial

Uma das revelações mais cativantes e inspiradoras que vivenciamos na COP28 é a transformação em curso no paradigma empresarial global. Estamos sendo espectadores e atores privilegiados do surgimento de um novo tipo de capitalismo, o capitalismo de stakeholders.

O que torna essa mudança verdadeiramente fascinante é a oportunidade que ela nos oferece de transformar nosso mundo em um lugar mais justo e equitativo, enquanto nossos negócios prosperam.

Pricilla Zacharias e Adilson Velasco, sócios da Trevo (Imagem: Divulgação/ Trevo)

Nesse cenário inovador, a competitividade empresarial vai muito além de apenas qualidade, preço ou prazo. Agora, ela se estende às melhores práticas corporativas e à responsabilidade social. Empresas não estão mais focadas exclusivamente em lucros, mas também em como suas operações afetam positivamente as comunidades, o meio ambiente e a sociedade como um todo. Esse redirecionamento coloca em destaque a busca por um propósito maior e a responsabilidade corporativa como fatores críticos para o sucesso nos negócios.

O que torna essa transformação ainda mais real e tangível é a visão de tantas pessoas, empresas e governos, muitos movidos por intenções legítimas, reavaliando e redefinindo seus papéis nos mercados. Independentemente de ser por princípio ou como oportunidade de negócios, o que

realmente importa é que agora temos uma chance sem precedentes de causar um impacto positivo e duradouro na sociedade. A adoção das práticas ESG (ambientais, sociais e de governança) e a colaboração para mitigar os riscos climáticos estão na vanguarda dessa mudança.

Neste novo cenário, não se trata apenas de lucro, mas de propósito. Não é apenas sobre competição, mas sobre cooperação. Não estamos apenas focados na sobrevivência, mas em prosperar juntos. Estamos diante de uma oportunidade única de redefinir o significado do sucesso empresarial, deixando um legado positivo para as gerações futuras. A COP28 nos mostrou que o fascinante capitalismo de stakeholders é mais do que uma tendência; é uma realidade que estamos construindo juntos.

2. Descobrindo Valores Através da Ação: A Experiência da Trevo Reciclagem

O segundo destaque é a descoberta dos verdadeiros valores através da ação. A COP28 nos ensinou que os princípios e valores autênticos de uma organização emergem naturalmente à medida que agimos.

Muitas vezes, nos encontramos em um dilema sobre como definir os princípios e valores de uma organização, como se fosse necessário construí-los meticulosamente. No entanto, nossa jornada como signatários do Pacto Global da ONU na COP28 nos ensinou que os princípios não são algo que precisamos criar do zero; eles já estão presentes, latentes e prontos para emergir naturalmente à medida que nos colocamos em movimento.

A COP28 foi uma experiência reveladora que confirmou que trabalhar e agir é a chave para descobrir os princípios e valores autênticos de uma organização. Em vez de nos preocuparmos em construí-los, devemos nos concentrar em colocar em prática o que naturalmente acreditamos. Foi assim que a visão da Trevo Reciclagem, se tornou mais clara do que nunca.

Percebemos que sempre estivemos no caminho certo, mas a COP28 nos proporcionou a clareza necessária para traduzir esses princípios latentes em objetivos e metas concretas para os próximos anos. Foi uma validação essencial de nossa abordagem, reforçando nossa convicção de que os valores da Trevo não são apenas palavras, mas ações concretas que moldam nosso impacto no mundo, dia após dia. Assim, nossa jornada de descoberta de nossos próprios princípios continua alimentando nossa determinação em causar um impacto positivo e duradouro na sociedade e no nosso negócio.

3. Sustentabilidade: Não uma Opção, Mas uma Necessidade Urgente

E em terceiro lugar, destacamos que a COP28 nos revelou uma lição crítica para empreendedores: a sustentabilidade não é mais apenas uma opção; é uma necessidade urgente e incontornável entre os negócios e o bem-estar do planeta. É mais do que uma questão ambiental; é um fator essencial para o sucesso e crescimento dos negócios.

A COP28 deixou claro que é possível encontrar o equilíbrio entre sustentabilidade e sucesso financeiro. A integração de práticas ESG pode ser um diferencial competitivo no Brasil no momento, destacando a urgência para as empresas abraçarem a sustentabilidade como parte integrante de suas estratégias.

Encontrar o ponto de convergência entre a sustentabilidade e os negócios é o caminho a seguir. Isso não significa apenas cumprir um papel social e ambiental, mas também tirar proveito comercial e financeiro desta trajetória.

Empresas que incorporam estratégias sustentáveis não apenas reduzem seu impacto ambiental, mas também atraem clientes, investidores e talentos que valorizam o compromisso com um futuro sustentável, além de reduzir custos e consequentemente, aumentar a margem de lucro. É uma oportunidade que não pode ser ignorada.

Nos países mais desenvolvidos, a integração de questões ESG (ambientais, sociais e de governança) já é uma norma, não uma exceção. No Brasil, estamos em um estágio em que o compromisso com a sustentabilidade pode ser um diferencial competitivo significativo. No entanto, o cenário está mudando rapidamente, e as empresas devem se mobilizar urgentemente para abraçar essas questões se quiserem se destacar no mercado.

Conclusão: O Caminho para o Futuro Sustentável dos Negócios

Em resumo, a COP28 nos alerta que a sustentabilidade não é uma escolha, mas uma estratégia imperativa. É o caminho para um futuro sustentável tanto para o planeta como para o sucesso nos negócios. É hora de agir, adaptar e inovar, pois o mundo inteiro está se voltando para essa direção. A sustentabilidade não é apenas a chave para a sobrevivência, mas também para o crescimento e a prosperidade duradoura dos negócios.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Faça parte da rede “O Melhor do Dinheirama” com as melhores análises e notícias

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.