Home Empresas Por que a Oi decolou 129% em fevereiro?

Por que a Oi decolou 129% em fevereiro?

Fundo gerido pela Trustee DTVM tem comprado ações da tele para "contribuir junto a empresa" em seu processo de recuperação judicial

por Reuters
0 comentário
Oi Oibr3

A Oi (OIBR3) comunicou nesta quarta-feira que um fundo gerido pela Trustee DTVM passou a deter 5,14% das ações da operadora de telecomunicações e sinalizou a intenção de contribuir para melhoria na estrutura administrativa da companhia, que está em seu segundo processo de recuperação judicial.

“Trata-se de um investimento, que tem a intenção de contribuir junto a empresa, autoridades, reguladores, poder judiciário do Rio de Janeiro, credores e a estrutura administrativa da empresa, em uma ampla solução para o soerguimento” da Oi, afirmou a Trustee em carta à operadora.

Por volta de 15:15, as ações da Oi disparavam 11,81%, a 1,42 real, ampliando a alta em fevereiro para cerca de 129%. O movimento mais forte nos papéis iniciou no último dia 7.

Na semana passada, a 7ª Vara Empresarial do Estado do Rio de Janeiro publicou edital de convocação para assembleia-geral de credores (AGC) da Oi em 5 de março, às 11h, para deliberar sobre o plano de recuperação judicial da empresa.

Desempenho das ações da Oi em 1 mês

A companhia já foi tida como uma “campeã nacional” durante o primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas sucumbiu a uma primeira recuperação judicial em 2016, quando foi forçada a vender ativos.

Atualmente a Oi se encontra em seu segundo processo de proteção contra credores.

Veja o comunicado:

(Com Reuters)

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.