Por que as decisões financeiras provocam tanta incerteza?Todos os dias somos bombardeados por milhares de informações e somos constantemente colocados à prova: precisamos escolher. As escolhas presentes em nossa vida exigem, muitas vezes, mais que informações. Precisamos de conhecimento. Os meios tecnológicos disponíveis facilitam o acesso à informação. Ótimo, mas informação não é conhecimento, certo? O especialista em Inovação Tecnológica, José Renato S. Santiago, nos explica essa diferença:

  • Informações: são quando os dados, como números e palavras, estão organizados e contextualizados. Segundo Peter Drucker[bb], informações são dados dotados de relevância e propósito. Ela exerce algum impacto sobre o destinatário, registra um fato.
  • Conhecimento: ele não pode ser visto separadamente do seu contexto. É a mistura de experiências, valores, informações contextualizadas. Ele possibilita a existência de uma estrutura que permite o juízo de valores e a incorporação de novas informações e experiências. É uma informação discutida. O tempo de aquisição do conhecimento é mais lento e ocorre a partir do processo em que as informações são reunidas e interpretadas. O conhecimento é eterno, é dominar um assunto.

Informações relacionadas à economia[bb] estão ligadas a diversas instâncias de nossa vida – e as decisões pertinentes a esse universo geralmente trazem grande desconforto. Por que as decisões financeiras nos provocam tanta incerteza? Acredito que, apesar do grande volume de informações recebidas pelos indivíduos, a falta de conhecimento econômico é um dos fatores que geram inseguranças e incertezas. Pesquisas realizadas apontam baixos índices de compreensão econômica, mesmo junto a estudantes universitários.

Para transformar as informações em conhecimento, a Educação Financeira possui ferramentas que levam à construção dos saberes necessários para a tomada de decisões mais acertadas e conscientes. Um dos objetivos é instigar a mudança de comportamento financeiro dos cidadãos, levando-os a um uso consciente de seus recursos e ao conhecimento econômico presente em seu cotidiano, bem como o entendimento dos comportamentos referentes a ele.

O meu trabalho como Pedagoga Empresarial e Econômica aqui no Dinheirama tem me proporcionado momentos de muita alegria ao saber, através do relato de nossos leitores e clientes, que as informações transmitidas por toda nossa equipe promoveu a construção de conhecimentos sólidos. Garanto, queridos leitores, que todos nós também aprendemos muito com vocês!

A orientação para minimizar as incertezas em relação às decisões financeiras, dentre outras atitudes, é procurar aumentar o grau de conhecimento e ser mais seletivo em relação às informações buscadas. Assim é possível fazer comparações, analisar, mobilizar conhecimentos já adquiridos e optar pela melhor opção. Aos poucos, agregamos valor a todas as informações, elas se “sedimentam”, o conhecimento[bb] é construído e a insegurança diminui.

Crédito da foto para stock.xchng.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários