dinheirama-post-orama Por trás de todo grande fundo há um grande gestor, em geral, independente. Os suíços e os americanos já sabem disso há mais de 20 anos. Os asiáticos estão começando a olhar para ele.  E nós, quando vamos dar mais valor a este profissional?

A crise financeira que se iniciou em 2007, com problemas no setor imobiliário americano, abalou a reputação de muitos bancos mundo afora. A quebra do gigante Lehman Brothers, uma instituição de referência que muitos consideravam eterna, expôs a fragilidade do sistema bancário.

Muitos investidores se viram desamparados e precisaram buscar novas alternativas para seu dinheiro. É nesse contexto que mais investidores, sobretudo os asiáticos, iniciaram um movimento de aproximação com gestores independentes, em busca de opções livres dos interesses dos grandes conglomerados financeiros.

Nos Estados Unidos, segundo a pesquisa do ICI (Investment Company Institute) divulgada em fevereiro deste ano sobre o perfil dos investidores, 92,4 milhões de indivíduos são cotistas de fundos, 76% deste patrimônio é gerido por independentes e olha que estamos falando de um mercado de mais de US$ 13 trilhões.

No Brasil, segundo relatório da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), apenas 3,5 milhões são cotistas de fundos, mas a grande maioria investe em fundos de gestoras ligadas aos grandes bancos.

Enquanto 79% das famílias americanas investem em fundos de ações, sendo 38% em ações do mercado global ou internacional, no Brasil, nem 1% dos investidores aplicam em fundos de ações, a grande maioria, 96%, investe em fundos de curto prazo, referenciado DI e renda fixa.

É certo que a população americana é muito mais familiarizada com produtos financeiros do que a brasileira, isso permite que invista mais agressivamente, diversifique mais e obtenha melhores resultados. Apesar de todo esforço que estamos fazendo para introduzir as melhores opções de investimentos, há um longo caminho a ser percorrido por aqui até que a população esteja mais confiante para expandir seus horizontes.

Em comum, americanos e brasileiros creditam aos investimentos em fundos segurança e rentabilidade, porém divergem no principal objetivo que os levam a investir em fundos: os americanos investem em fundos para acumular recursos para a aposentadoria, os brasileiros, que pensam mais a curto prazo, investem em fundos as reservas para emergências e consumo.

E você, já investe em fundos de gestores independentes? Ou suas aplicações estão concentradas no banco? Com todas as mudanças que ocorreram nos últimos anos, não está na hora de avaliar sua situação financeira e repensar os objetivos para o futuro?

Na ÓRAMA, você tem acesso aos melhores gestores independentes do Brasil.  Empresas formadas por profissionais qualificados e experientes, que construíram excelente histórico de rentabilidade e que passaram bem pelas diversas crises financeiras.

Conheça a nova página dos gestores e em caso de dúvidas use o canal Fale com a Sandra.

Foto de freedigitalphotos.net.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários