Poupança pela regra antiga tem bons resultadosApós um ano da mudança de regras, a poupança antiga se mostra como um dos melhores investimentos quando comparada com aplicações de renda fixa, segundo levantamento do professor de economia Pedro Raffy Vartanian, da Universidade Presbeteriana Mackenzie, a pedido do blog Achados Econômicos.

A regra antiga faz com que as aplicações na poupança tenham rendimento de 0,5% ao mês mais TR (Taxa Referencial). Assim, os investimentos na modalidade feitos até 3 de maio do ano passado renderam 6,25% nos últimos 12 meses.

Já aqueles que aplicaram a partir da data citada acima tiveram um rendimento de apenas 5,47% em um ano, valor calculado a partir da nova regra da caderneta, segundo a qual o ganho equivale a 70% da taxa Selic (taxa básica de juros) mais TR.

“Com a Selic [taxa básica de juros] em baixos patamares [hoje em 7,5% ao ano], a poupança antiga é um excelente investimento. Uma recomendação para as pessoas que podem poupar é não mexer no dinheiro da poupança antiga”, sugere o professor.

É válido lembrar que não é mais possível aplicar na poupança antiga. No entanto, quem já tinha aplicações antes da mudança pode mantê-las.

Comparação com outros investimentos

Além de superar o CDB, o rendimento da poupança pela regra antiga bateu o da média dos fundos de renda fixa referenciados DI, supondo uma remuneração de 90% do DI, conforme indica a tabela baixo.

AplicaçãoRendimento em 12 meses (%)*
Tesouro Direto com taxa de juros fixa + IPCA (NTN-B)13,22
Tesouro Direto prefixado (LTN)10,82
Poupança (regra antiga)6,25
CDB**5,75
Poupança (regra atual)5,47
Fundos DI***4,04

* Já descontados impostos e taxas
** Supondo remuneração de 90% do CDI e prazo de 2 anos
*** Média dos fundos dos 4 maiores bancos que exigem investimento inicial baixo

Sílvio Guedes Crespo, do Achados Econômicos, lembra que, na tabela acima, o CDB supõe que se consiga uma remuneração de 90% do CDI. O investidor terá um rendimento (6,38%) com CDB maior que o da poupança caso obtenha 100% do CDI. No entanto, esse ganho é mais difícil e depende da quantia aplicada e da relação do cliente com o banco.

Tesouro Direto

A LTN e a NTN-B, títulos do Tesouro Direto, registraram rendimento muito superior ao da poupança, atingindo mais de 10%. Vartanian, no entanto, faz uma ressalva: “Apesar do excelente ganho no Tesouro Direto, o investidor pode ter flutuações de curto prazo no rendimento, podendo até ter resultado negativo em alguns meses”.

Dessa maneira, se o investidor tem aplicações na poupança antiga e tem como objetivo investimentos mais previsíveis, a sugestão é não mexer. Por outro lado, se ele estiver atrás de um ganho maior, então o Tesouro Direto é mais adequado, afirma o professor.

Mudanças na rentabilidade da poupança

Há um ano as regras de rentabilidade da caderneta de poupança estavam mudando. A nova forma de se calcular o retorno com esse tipo de investimento levantou discussões e, inclusive, foi assunto no Dinheirama.

Conrado Navarro abordou as principais questões sobre a nova poupança, a fim de esclarecer quando vale a pena o investimento na aplicação. Clique e leia mais sobre a nova poupança. Leitura recomendada.

Fonte: Achados Econômicos. Foto de freedigitalphotos.net.

Willian Binder
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários