selic-postNa quarta-feira(10), o Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central subiu a taxa básica de juros para 8,5% ao ano. Com a medida, tornou a poupança mais atrativa do que muitos fundos de investimento de renda fixa.

Com essa nova taxa de juros, a poupança rende anualmente 5,95 %, 0,35 pontos percentuais acima do índice anterior que era de 5,60%. Porém, o valor ainda é menor do que o aumento geral de preços (inflação) acumulado nos últimos 12 meses que foi de 6,7%, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Segundo o economista da Fundação Getulio Vargas (FGV) Samy Dana, com o aumento da taxa básica de juros para 8,5%, a poupança passa a render 0,48% ao mês. Em termos práticos, significa que a cada R$ 100 investidos mensalmente, a rentabilidade é de dois centavos.

Quem decidir aplicar R$ 10.000, irá obter R$ 2 a mais por mês do que se a Selic continuasse em 8% ao ano. Ainda de acordo com o economista, o rendimento da poupança “é muito pouco”. “É uma mudança muito pequena para a grande maioria da população”, diz Dana.

O resultado disso tudo é que o consumidor não sente que houve aumento do poder aquisitivo. Porém, o investimento em poupança ainda é mais atrativo e rentável do que as aplicações em muitos fundos de renda fixa disponíveis no mercado.

Isso acontece porque os fundos sofrem com a tributação do Imposto de Renda e com a taxa de administração cobrada pelos bancos.

De acordo com Miguel Ribeiro, diretor da Anefac (Associação Nacional dos Executivos Econômicos), os fundos apenas são mais vantajosos do que a poupança quando a taxa de administração cobrada for de 0,50% ao ano, o que normalmente acontece para investimentos acima de R$ 50 mil.

O recado de hoje é: preste atenção à rentabilidade de seus investimentos. Será que o fundo de renda fixa em que você investe rende mais que a poupança? Cuidado também com a inflação. Comente abaixo e deixe sua opinião.

FONTE: R7 | Blog do Loetz Foto de freedigitalphotos.net

Igor Oliveira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários