Vamos falar de dinheiro?O Dia das Crianças já está próximo, data em que cresce o consumo de produtos infantis e, conseqüentemente, a necessidade de um dinheiro extra. Mas o que fazer quando não se tem uma reserva de capital para este dia especial? Nesse caso, sempre é fundamental manter a calma, evitando loucuras, e ter em mente que mesmo sem um planejamento prévio ainda é possível comprar presentes para os filhos e utilizar essa situação para iniciar seu filho no caminho da educação financeira.

Assim, se a condição financeira da família estiver muito apertada, o ideal é ter uma conversa franca com as crianças, buscando mostrar a importância dela para a família e encontrando algo que ela deseja dentro da realidade financeira do momento. A conversa chamará a atenção da criança para que perceba que aquilo que ela viu em uma propaganda não é o que ela necessita no momento.

Uma boa dica para economizar é trocar o presente pela realização de um passeio. Esse momento que a família passa junto pode valer muito mais que um presente físico. A viagem ou passeio fica na memória, além de ajudar a melhorar a cultura e o conhecimento da criança. Reforço que, quem não planejou a compra de presentes para o Dia das Crianças deve comprar um presente de menor valor agora, se preparando para comprar algo que agrade mais a criança em seu aniversário ou no Natal.

Se a situação financeira não está tão complicada é interessante comprar um bom presente. Contudo, antes da aquisição do produto são necessárias duas atitudes: a realização de pesquisas de preços e uma análise das melhores formas de pagamento. Além disso, é fundamental analisar se o presente não trará custos extras para a família ou mesmo para a criança.

A maioria das pessoas ainda não se atentou para a importância de saber negociar em nosso cotidiano e o Dia das Crianças é uma ótima oportunidade de mostrar para as crianças como fazer isso, levando seu filho para a compra, sempre com o presente pré-definido na cabeça dele. Cada vez mais cedo, as crianças estão expostas ao mundo das finanças pessoais. Seja na escolinha, em casa ou mesmo na rua com os amigos, o dinheiro já é parte fundamental de suas vidas.

Mas como educá-los financeiramente da forma correta?
A partir do que coloquei em meu livro “O Menino do Dinheiro” (Editora Gente), elaborei dez dicas para seu filho começar a economizar:

  1. A partir dos dois anos, quando as crianças começam a demonstrar desejos próprios, já é o momento de iniciar a educação financeira, mostrando o processo de troca do dinheiro por produtos;
  2. Reserve as datas especiais para dar brinquedos às crianças, mostrando assim que ela não pode ter tudo na hora que quiser;
  3. Apesar de estar em desuso, os cofrinhos ainda são ótimas formas de mostrar a importância da economia para as crianças;
  4. Conheça alguns dos desejos da criança e demonstre quanto ela terá que guardar para realizá-los. Quando ela chegar a esse valor, acompanhe-a na compra, que será uma conquista;
  5. Desenvolva jogos e brincadeiras que estimulem as crianças a pensar em como utilizar dinheiro e em como é importante poupar;
  6. Demonstre desde cedo a relação entre o dinheiro e trabalho, o que pode ser feito levando-a ao seu local de trabalho;
  7. Faça com que as crianças participem das reuniões financeiras da família e das decisões sobre viagens, compra de material escolar e compras maiores. Isso também pode ser feito nas listas de supermercados;
  8. Explique para seu filho que nem tudo que é demonstrado nas publicidades tem um real valor para o cotidiano e que a aquisição desses produtos pode proporcionar frustrações;
  9. Analisar e, quando perceber que a criança já possui um certo entendimento sobre o valor do dinheiro, dar uma mesada, com a qual ela deverá adquirir produtos que deseja;
  10. Abra uma poupança para a criança, onde direcionará parte da mesada para que no futuro a criança tenha uma reserva. Faça um acompanhamento conjunto de quanto de dinheiro ela já possui.

Um último cuidado que os pais devem sempre tomar é direcionar a compra de presentes para datas especiais, como o Dia das Crianças, aniversário e Natal, evitando com isso que as crianças se tornem excessivamente consumistas, possibilitando uma reserva financeira maior para comprar presentes e reforçando a magia que cerca esses momentos.

——
Reinaldo Domingos é professor, consultor e terapeuta financeiro. Também é autor do livro “O Menino do Dinheiro” (Editora Gente) – http://www.omeninododinheiro.com.br – e criador do DiSOP – Instituto de Educação Financeira.

Crédito da foto para Marcio Eugenio.

Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários