Muitas pessoas não têm informações suficientes sobre o assunto Previdência Privada.  Acham, inclusive, que basta escolher um banco e todo mês fazer pequenos depósitos para “lá na frente se aposentar”.

Os produtos de Previdência Privada mudaram muito nos últimos anos. Apresentam excelentes vantagens fiscais e tributárias, além de serem excelentes mecanismos para sucessão familiar.

Vamos falar um pouco a respeito dos produtos disponíveis hoje no Brasil para que você possa escolher de maneira adequada.

PGBL e VGBL

De acordo com a FENAPREVI (órgão que regulamenta os planos de previdência complementar), o incentivo fiscal oferecido pelo governo é, sem dúvida, o melhor atrativo para os planos de previdência do tipo PGBL (Plano Gerador de Beneficio Livre).

Além disso, os planos de previdência possuem outra particularidade quando comparados aos fundos de investimento. O Imposto de Renda (IR) só é cobrado na saída (resgate ou recebimento de renda), o que faz com que os juros possam agir sobre um montante maior.

Ebook gratuito recomendado: O novo aposentado

Já os planos chamados de VGBL (Vida Gerador de Beneficio Livre) não possuem incentivo fiscal, porém o IR só incide sobre os rendimentos e não sobre o valor total no momento do resgate ou recebimento de renda.

Pensando no futuro

Previdência é para longo prazo, portanto peça a opinião de um especialista quando for adquirir o seu plano.

Muitas instituições possuem planos voltados para o público jovem e para crianças, visando o pagamento de um curso no exterior ou uma faculdade particular. Para muitos, isso pode fazer sentido; para outros, nem tanto.

Lembramos que você deve sempre acompanhar a rentabilidade do seu plano e verificar se os valores depositados estão de acordo com o que você quer ter de renda no futuro. Podem ser feitos novos aportes (depósitos) ao longo do tempo, o que altera a renda desejada.

Previdência privada também é indicada nos casos de sucessão familiar e transmissão de patrimônio, uma vez que permite que sejam listados beneficiários. O saldo é liberado em cerca de 15 dias pela seguradora e dispensa inventário e custos com advogados.

Leitura recomendada: Reserva para emergências é uma coisa, para aposentadoria é outra

O que prestar atenção quando o assunto é Previdência Privada

1. Taxas

Existem basicamente duas taxas nos planos de previdência. Uma delas é a taxa de administração, que incide sobre os fundos de investimento e que varia de acordo com o perfil do fundo escolhido pelo cliente.

A outra é a taxa de carregamento, que incide sobre as contribuições ou quando o cliente faz algum resgate (carregamento de saída).

2. Portabilidade

Assim como ocorre nas empresas de telefonia móvel, os clientes podem, respeitando as carências, pedir a portabilidade do plano de previdência para outra instituição.

O ponto mais importante a ser analisado para a utilização desta facilidade são as taxas de administração e taxas de carregamento, que podem ser melhores.

3. Planos Empresariais

Muitas empresas privadas já possuem planos de previdência para seus colaboradores. Se sua empresa possui, vale a pena entender como funciona e certamente fazer parte do plano.

Atenção especial para as regras de contribuição e o operacional caso você venha a sair da empresa.

Vídeo recomendado: O futuro chega para todos! Se o seu será rico ou não, é uma escolha sua

Conclusão

As decisões da contratação do plano são sempre do cliente, por isso escolha com cuidado e de forma a tirar todas as suas dúvidas. Caso queira perguntar algo, use o espaço de comentários abaixo e tentarei ajudar. Até a próxima!

Abraão Rodrigues
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários