A Reforma da Previdência não é um assunto isolado do Brasil. Alguns países trataram esse assunto a anos atrás e passaram também pelo mesmo problema da discussão do que é melhor.  Prós ou contras, não importa. O fato é que precisamos urgentemente das mudanças. Investidores e empresas estão de olhos bem atentos ao que pode ocorrer no Brasil.

Países como a França, Chile, Alemanha, Japão, Grécia passaram pelas reformas em seus sistemas previdenciário e quase sempre pelo mesmo motivo: Anos atrás a grande população de jovens no mercado de trabalho e pequena população de idosos que rapidamente sofreram com o envelhecimento da população. Com mais aposentados e menos trabalhadores na ativa fica difícil manter o equilíbrio nas contas.  O fato é que certamente as reformas não agradaram a todos e alguns acreditam ser impopulares.

Sem as reformas ocorridas, esses Países certamente estariam em enorme dificuldade financeira com déficits enormes a cada ano. Ou seja, estamos atrasados sim.  Basta olharmos como esses Países estão hoje pós reforma e nos espelharmos dentro do que for possível para adequar  e minimizarmos os enormes impactos que as mudanças deverão causar.

Para isso alguns pontos importantes para esclarecermos as mudanças propostas:

A diferença dos Regimes de Repartição e Capitalização: No modelo de repartição, as contribuições dos trabalhadores ativos pagam os benefícios dos aposentados e pensionistas. É assim no Brasil e na maior parte dos países ainda hoje.

Já no regime de Capitalização é baseada em poupanças individuais. Cada trabalhador poupa recursos, que são guardados em uma conta própria. Na hora da aposentadoria, o trabalhador conta apenas com os recursos que ele mesmo guardou enquanto trabalhava.

Sabemos que a proposta é uma das várias em consideração, já que o presidente Jair Bolsonaro quer que o Legislativo avance em seus ambiciosos planos de reformar o sistema de seguridade social do Brasil.

Bolsonaro colocou a Previdência no topo de sua agenda e dependendo das propostas finais, poderá economizar até 1,3 trilhão de reais, na próxima década, segundo fontes do Ministério da Economia.

Confiança dos investidores

Os investidores fixaram grande parte de sua perspectiva otimista para o Brasil este ano em Bolsonaro e sua Equipe.

O mercado acionário brasileiro (Bovespa) bateu recorde e a cada dia os investidores estão de olho no que acontece aqui no Brasil.

A necessidade da Reforma

Todos os brasileiros, incluindo membros atuais e antigos das forças armadas, terão que se comprometer sob o plano de reforma previdenciária.

Para muitos economistas os cortes no sistema de seguridade social do Brasil são essenciais para controlar um enorme déficit federal e recuperar o rating de grau de investimento do Brasil.

Em 2018, o sistema previdenciário federal para trabalhadores do setor privado tinha um déficit de quase US $ 55 bilhões, um aumento de 170% em 10 anos, segundo a Fundação Getúlio Vargas.

Somos a nação mais populosa da América Latina e nosso sistema de pensão é conhecido há muito tempo por benefícios relativamente generosos.  Sabemos que o sistema não é sustentável porque as pessoas estão vivendo muito mais depois da aposentadoria.

O número de pessoas no Brasil com 65 anos ou mais deve triplicar nos próximos 40 anos e será responsável por quase 40% da população até 2050, de acordo com um relatório de 2017 da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Alguns especialistas elogiaram a proposta do governo, uma promessa de campanha de Bolsonaro e seu ministro da Economia, Paulo Guedes.

Alberto Ramos, chefe da equipe de pesquisa econômica da América Latina no Goldman Sachs, disse em comunicado que o projeto de lei “robusto e abrangente” da previdência social reduziu algumas das “injustiças gritantes do sistema atual entre os diferentes regimes”.

Os benefícios de aposentadoria estão na Constituição, ou seja, qualquer reforma requer pelo menos três quintos de ambas as câmaras do Congresso.

A opção pelos planos privados

Nunca antes se falou tanto em Previdência no Brasil e se por um lado temos a questão da Reforma, por outro temos os Planos Privados que servem como uma opção aos que buscam ter um plano de aposentadoria sólido que lhe dará uma aposentadoria financeiramente segura. Além de, em alguns casos proporcionar incentivo fiscal.   Com tantas opções, como você seleciona os tipos certos de planos de aposentadoria?

Assim como nos Estados Unidos, que possuem vários tipos de Planos (401k, 403b, 457, IRAs ), cada um deles para um determinado segmento da economia. Empresas privadas (401K), Empresas com isenção fiscal (403b), nós aqui no Brasil temos os planos PGBL, VGBL, Planos Empresariais, Coberturas de Risco, Seguros de Vida Resgatáveis, etc.

O papel do Corretor de Seguros

Dedicar-se e contribuir para o desenvolvimento do setor de seguros de Pessoas e Previdência Privada e alinhado com atual realidade do nosso País onde a necessidade de planejamento da aposentadoria individual será cada vez mais importante.

Dentro desse contexto, o papel do Corretor de Seguros terá papel essencial no conhecimento dos produtos para que possam atender as necessidades dos Clientes.  Oferecendo soluções para fortalecer os mecanismos de formação de poupança de longo prazo.  Nunca antes se falou tanto em Previdência Privada. É o momento para aprofundar no assunto e estar atento as necessidades dos Clientes.

Sugiro que nossos Leitores falem com Consultores Financeiros ou Corretores de Seguros que poderão lhes ajudar a encontrar a melhor opção para o seu momento de vida e poderão lhe fornecer orientações valiosas no momento da decisão.

Além disso, caso esteja no momento de receber renda, vale a pena também uma reanálise da melhor opção. Lembrando que são vários os tipos de renda disponíveis: Renda Vitalícia, Renda por Prazo Determinado, Renda com Reversão (ao Cônjuge ou aos Filhos), etc. Certamente para cada tipo de renda escolhida os valores mudam e é por isso que a renda escolhida no momento que se adquire o plano de previdência privada pode não ser a melhor no momento que chega a data para recebimento. Pessoas casam, se separam, tem filhos ou não. Podem ficar viúvos ou viúvas. Enfim, cada alteração que venha ocorrer na vida altera os valores de renda.

Os Consultores Financeiros e os Corretores de Seguros poderão proporcionar estudos visando maiores ganhos de receita.

A busca por um Profissional pode evitar de tomar a decisão errada seja na contratação do plano ou no momento de receber a renda.

Abraão Rodrigues
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários