Home Economia e Política Primárias na Carolina do Sul testam o apoio de eleitores negros a Biden

Primárias na Carolina do Sul testam o apoio de eleitores negros a Biden

Enfrentando pouca competição, a candidatura de Joe Biden à reeleição desembarca na Carolina do Sul buscando uma vitória esmagadora

por Reuters
0 comentário
Joe Biden

A candidatura à reeleição do presidente dos EUA, Joe Biden, chega aos eleitores pela primeira vez neste sábado, quando os democratas realizam suas primárias inaugurais de 2024 na Carolina do Sul.

Biden, de 81 anos, um impopular que enfrenta pouca competição pela indicação de seu partido no período que antecede as eleições de 5 de novembro nos EUA, espera uma vitória esmagadora com o eleitorado amplamente negro na Carolina do Sul para reduzir as dúvidas sobre sua idade e preocupações sobre os altos custos para o consumidor e a segurança ao longo da fronteira EUA-México.

Autoridades democratas entrevistadas pela Reuters esperam algo entre 100.000 e 200.000 votos nas primárias, após um tour pelo estado, condado por condado, com o objetivo de animar os eleitores com vários eventos onde estará Biden ou a vice-presidente Kamala Harris.

“Quem está na Casa Branca é importante, e nesta eleição cada um de nós enfrentamos uma pergunta: ‘Em que tipo de país queremos viver?”, disse Harris na sexta-feira em Orangeburg, na Carolina do Sul. “O presidente Biden e eu contamos com você.”

O ex-presidente Donald Trump, de 77 anos, é o favorito à indicação republicana para concorrer com Biden nas eleições gerais.

A Carolina do Sul não apoia um democrata para presidente nas eleições gerais desde 1976. Mas como os negros representam mais da metade do eleitorado democrata neste estado, este será um teste importante ao apelo de Biden com uma base eleitoral que apoia os democratas por nove a um nas corridas presidenciais.

Os resultados são esperados após as 19h (21h no horário de Brasília).

Alguns eleitores da Carolina do Sul disseram que a tentativa de reeleição de Biden deixou a desejar. “Às vezes me pergunto se a presença dele é suficiente porque você não o vê muito, não o ouve muito”, disse Martin Orr, 52 anos, administrador escolar de McConnells, na Carolina do Sul, sobre Biden, quem ele planeja apoiar. “Está quieto por causa de sua idade, por causa da condição física, ou o que está acontecendo? Acho que é com isso que muitas pessoas estão preocupadas agora.”

Ecos de 2020

Embora ainda tenha dezenas de eleições primárias pela frente, Biden já entrou no modo de eleições gerais, atacando Trump em uma série de discursos. Trump é fortemente favorito para ser indicado por seu partido depois de triunfar em Iowa e New Hampshire, as duas primeiras disputas na batalha estado por estado. A Carolina do Sul será a anfitriã da próxima grande batalha pela indicação presidencial republicana, no dia 24 de fevereiro.

Biden reordenou o calendário democrata e colocou a Carolina do Sul como a primeira disputa, à frente de Iowa e New Hampshire, numa medida que aumentou a voz dos eleitores negros e praticamente excluiu qualquer competição potencial pela nomeação.

Uma vitória dominante nas primárias da Carolina do Sul resgatou a campanha falida e fracassada de Biden há quatro anos, levando-o a uma eventual vitória nas eleições gerais contra Trump.

“Os eleitores negros compareceram em grande número e votaram a favor de Joe Biden”, disse Kirk Randazzo, presidente do departamento de ciência política da Universidade da Carolina do Sul, em Columbia. “Há menos entusiasmo por ele e pelas suas políticas entre os eleitores minoritários, em particular entre os homens negros. E não está claro se eles vão votar ou ficarão em casa”.

Em 2020, Biden teve 49% dos 539.263 votos expressos na corrida primária democrata na Carolina do Sul, que envolveu sete pessoas. Os democratas do estado esperam que desta vez ele conquiste uma parcela maior do eleitorado, contra o deputado norte-americano Dean Phillips e a autora de livros de autoajuda best-sellers, Marianne Williamson.

Em New Hampshire, onde o nome de Biden não estava nas urnas no mês passado, ele obteve 64% dos votos nas primárias graças a uma campanha feita por escrita.

Em um discurso recente aos democratas estaduais, Phillips disse que espera que 95% do estado opte por Biden nas primárias. Mas Phillips disse que ainda tem um papel a desempenhar. “Se você quer ter as primeiras primárias do país, precisa de pelo menos dois candidatos nas urnas, e estou feliz em ser esse outro cara”, disse Phillips.

Sobre Nós

O Dinheirama é o melhor portal de conteúdo para você que precisa aprender finanças, mas nunca teve facilidade com os números.  Saiba Mais

Mail Dinheirama

Faça parte da nossa rede “O Melhor do Dinheirama”

Redes Sociais

© 2023 Dinheirama. Todos os direitos reservados.

O Dinheirama preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes.

O portal www.dinheirama.com é de propriedade do Grupo Primo.