Problemas que mais geraram reclamações em 2012Segundo pesquisa realizada pelo Procon-SP, os aparelhos de telefone, com destaque para os celulares, foram os produtos que mais geraram reclamações em 2012. O balanço divulgado pela fundação na última sexta-feira (12) mostrou que esses produtos registraram 18% das reclamações, um total de 7.204 queixas no ano passado.

Os celulares receberam péssima avaliação. De acordo com a divulgação, os aparelhos de telefone “apresentam padrão de qualidade insatisfatório, com a apresentação de vícios de funcionamento e durabilidade abaixo das expectativas dos consumidores”.

A experiência do usuário piora pelo suporte inadequado no pós-venda, com os fabricantes alegando que o defeito ocorreu por mau uso. Dessa maneira, o fabricante passa a responsabilidade da falta de qualidade do produto para o consumidor.

A qualidade dos produtos foi a principal queixa dos consumidores no ano passado. Segundo o Procon-SP, as reclamações sobre a qualidade somaram 17.064, ou 42% do total.

Produtos

Microcomputador e produtos de informática ficaram na segunda posição entre os tipos de produtos mais reclamados. Esse tipo de produto totalizou 14% das reclamações (5.582) e o terceiro são os móveis, com 10% das queixas (4.192).

Depois vieram as reclamações dos produtos da linha branca – geladeira, fogão, micro-ondas, máquina de lavar (10%, ou 3.997 queixas) e aparelhos de TV (7%, ou 2.689).

Produtos que mais geraram reclamações no Procon-SP em 2012
1º Aparelho de telefone18%
2º Microcomputador / Produtos de Informática14%
3º Móveis10%
4º Produtos da Linha Branca (geladeira, freezer, máquina de lavar roupa, louça e secadora, fogão e microomdas)10%
5º Televisão / Vídeo Cassete / Filmadora / Video-Laser7%

Problemas

Você teve, recentemente, algum problema com entrega de produtos? Sim? Não? Saiba que o problema com entrega também foi destaque entre as reclamações. Há queixas sobre produtos que não foram entregues ou de entrega de produto diferente do que foi comprado.

No caso dos móveis, as reclamações são em relação à falta de peças. A entrega incompleta se mostra frequente, faltando puxadores, cabideiros, gavetas etc. Somado a isso ainda há queixas relacionadas aos atrasos e problemas na montagem dos móveis comprados.

Problemas que mais geraram reclamações no Procon-SP em 2012
1º Vícios de qualidade42%
2º Não entrega / atraso na entrega39%
3º Contrato – descumprimento / cancelamento13%
4º Oferta / Publicidade enganosa3%
5º Compra de veículo (multa, transferência, alienação, não entrega de documento)1%

Possíveis soluções à vista?

Com o aumento das compras online, muitas dessas reclamações vêm de aquisições feitas pela internet. Autoridades perceberam que a compra pela rede ainda tem atendimento muito inferior e muitas possibilidades de fraudes e uso de má fé, e assim precisa de leis e regulamentações mais claras (e severas) para melhor atender os consumidores.

Na última sexta-feira publicamos um artigo que mostra as novas obrigações de serviços de atendimento ao consumidor. Através do Decreto Federal Nº. 7.962, o relacionamento entre empresa e cliente deve melhorar. Assim esperamos também.

Fonte: G1. Foto de freedigitalphotos.net.

Willian Binder
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários