Ações - GráficosGiovanni escreveu: “Oi Navarro. Primeiramente, parabens pelo blog, tenho acompanhado nos últimos dias e aprendi muito aqui, obrigado! Estou pensando em começar a investir em ações, mas como ainda não formei uma estratégia que me deixasse confiante, resolvi que irei começar com um fundo programado de investimento. Qual sua opinião sobre esses fundos programados? A taxa que a corretora irá me cobrar será de 4% a.a. Você acha que está dentro da média? O que você acha que devo ficar atento? As ações desse fundo ao meu parecer são muito interessantes, acho que posso ter um resultado satisfatório até formar minha própria estratégia e partir para o Homebroker. Quem sabe até não fique com as duas opções de investimento. O que acha”?

Giovanni, obrigado pelas visitas e pelas cordiais palavras de apoio. Sua visita sempre será bem-vinda. Permita-me lembrar aos leitores de que faltam poucos dias para o encerramento da Promoção Dinheirama 100 Posts. Participem! O mercado de ações vem sendo a grande surpresa dos últimos anos. Rentabilidade alta, recordes quebrados e muitos e-mails e dúvidas sobre seu funcionamento são alguns dos reflexos desse movimento, que por sinal, é ótimo para o país. Mas é preciso estar atento e ter em mente que investir em ações não significa estar certo de que haverão bons retornos. Não no curto prazo. Sua cautela merece destaque e tentarei ajudá-lo.

Cuidados com a nomenclatura
Em grandes bancos, um investimento programado pode significar uma aplicação cujos aportes devam ser realizados periodicamente. Como exemplo, cito os planos de previdência privada. No seu caso, creio que esteja falando do Fundo Programado da corretora Geração Futuro. Estou certo? É importante lembrar que existem também os clubes programados e vamos entender um pouco mais sobre eles adiante. Este pequeno parágrafo é apenas um lembrete para que não faça confusão com os nomes dos fundos e investimentos encontrados no mercado. A confusão costuma ser normal, fique tranquilo.

O Fundo Programado (Geração Futuro) e suas características
Como qualquer outro fundo de ações, esta aplicação baseia-se no conceito de cotas. Cada cota é negociada a um preço determinado por cálculos diários que levam em conta a valorização e patrimônio do fundo. Como eu já disse em ocasiões anteriores, este é um produto destinado a quem procura um investimento de médio a longo prazo. Além disso, ele caracteriza-se por cobrar uma taxa de administração de 4% a.a e seus rendimentos sofrerão, quando do resgate, dedução de 15% de IR.

Você deve ter chegado à conclusão de que este produto é semelhante a algum fundo de ações também encontrado no banco onde possui conta corrente. Você está certo. A diferença está no portfólio de ativos que cada um ostenta e em como estas ações mexem com seu retorno e volatilidade. Lembra-se da affair entre risco e retorno?

Esse é um investimento interessante?
Tendo em vista que a aplicação mínima é de R$ 100,00, a taxa de administração está dentro da média cobrada por outras instituições, embora eu ainda a considere um pouco alta. É consenso entre os especialistas que a Bovespa, apesar de sua vitalidade, deva passar por algumas correções. Isso significa que os fundos de ações ou compra/venda direta de ações podem oferecer volatilidade mais alta a partir deste semestre. A dica aqui é simples: não invista a maior parte de seu patrimônio em produtos deste tipo.

Você não respondeu minha pergunta…
Calma. As projeções (maioria delas) para o Ibovespa são de alta em relação ao seu patamar atual, mas é preciso manter o pé no chão. Traduzir o medo em operações no mercado é algo difícil, para não dizer impossível. Assim, procuro indicar aos leitores iniciantes que foquem seus investimentos em fundos ou ações orientados ao pagamento ou reinvestimento de dividendos e que ofereçam boa liquidez.

O objetivo aqui não é avaliar produtos específicos dessa ou daquela corretora, mas fornecer subsídios para que você possa decidir-se diante de tantas opções. Procure por produtos similares nos bancos e verá alguns fundos de renda variável com taxas inferiores a 4%, analise sua rentabilidade histórica, a composição de seu portfólio e as regras de adesão. De repente encontra algo interessante por ai.

Beleza. E os tais Clubes Programados?
A definição é bem simples. São clubes de investimento onde não há a necessidade de vínculo ou amizade entre os participantes. O oposto seriam os Clubes Exclusivos, formados obrigatoriamente por pessoas que se conheçam e que concordem em formar um grupo para investimento na Bolsa. Quer entender um pouco mais sobre clubes de investimento? Então clique aqui.

Este foi um artigo técnico além da conta, reconheço. Mas os termos aqui citados são de vital importância para que não haja espaço para a dúvida em suas decisões. Nas finanças pessoais é preciso que os argumentos sejam fortes e a decisão tomada com consciência. Afirmar isso, concordamos, não é nenhuma novidade. Então fico tranquilo e na esperança de que o artigo tenha colaborado para sua formação financeira básica.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários