Sempre que converso sobre as características e os comportamentos que fazem alguém sair de uma condição adversa e alcançar a prosperidade, algumas questões acabam sempre vindo à tona.

Alguns destes comportamentos são bastante óbvios e muita gente consegue percebê-los sem muito esforço. Pessoas bem-sucedidas e prósperas não têm medo de desafios e enfrentam as mudanças sempre com a disposição de fazer o que for necessário para alcançar seus objetivos.

Pessoas bem-sucedidas também não focam nos problemas! Elas sabem que eles existem para serem superados e procuram sempre manter um olhar tranquilo e sereno; por piores que sejam os problemas, o foco será sempre encontrar uma solução.

As pessoas bem-sucedidas acreditam ainda que o risco é a melhor forma de aproveitar as boas oportunidades, mas para isso fazem questão de medir os prós e contras de suas decisões. Gente assim sabe calcular o momento certo de apostar, mesmo que os projetos pareçam malucos ou com poucas chances de sucesso.

Mediocridade, essa palavra te assusta?

Antes de escrever esse artigo, pensei se deveria ou não usar o termo mediocridade para tratar uma característica que considero a mais crítica para aquelas pessoas que nunca saem do lugar quando o assunto é sucesso financeiro.

Talvez o termo possa ser pesado, mas a verdade é que a mediocridade, ou a modéstia em relação aos sonhos e objetivos, é o pior obstáculo para construir uma história de sucesso. E mediocridade não significa ser pior que os outros, mas simplesmente mediano, igual, praticamente padrão. Isso não é bom!

“Só a ignorância aceita, e a indiferença tolera, o reinado da mediocridade” (José de Alencar)

De acordo com um dos princípios de riqueza detalhados por T.Harv Eker no livro “Os Segredos da Mente Milionária”, quando queremos mudar os frutos, primeiro temos que trocar as raízes. Quando desejamos alterar o que está visível, antes devemos mudar o que está invisível.

A mediocridade é invisível aos olhos dos outros, mas aos poucos se torna palpável e presente no dia a dia de gente que quase sempre falha por desistir de seus projetos no meio do caminho, optando por apostar nas desculpas e falta de tempo/qualificação para defender-se do fracasso.

Comportamentos que impedem sua prosperidade

A mediocridade é, sem dúvida, uma maneira de se esconder das dificuldades, mas também das oportunidades; é mais fácil adotar uma postura medíocre do que arriscar um novo negócio ou sair da zona de conforto para buscar conhecimentos novos, capazes de trazer grandes benefícios, inclusive financeiros.

Além da mediocridade, que colabora para que muita gente nunca saia do lugar, outros comportamentos também contribuem para que alguns não alcancem a prosperidade:

  • Não definir objetivos: Ninguém fica milionário “da noite para o dia”, por mais que esse seja um grande objetivo. Para chegar lá, é fundamental ter um bom plano, com metas menores que sirvam como uma rota para alcançar o sonho maior. Qual o seu plano para tanto? Abrir um negócio próprio, tornar-se presidente de uma multinacional? Existem várias formas de prosperar, mas antes de tudo é fundamental definir que caminho deseja trilhar e observar nele as paradas importantes para conseguir chegar ao destino final de forma inteligente e sustentável;
  • Dispensar os controles financeiros: Dizer que confia apenas na contabilidade mental é uma característica/desculpa de pessoas medíocres, que apostam na preguiça como pretexto para não enriquecer. A atitude desejada para quem quer fazer diferente é experimentar diferentes formas de registrar suas despesas e receitas e gerenciar suas finanças pessoais de perto, encontrando então aquela que melhor funciona para seu estilo de vida. Faça com os ricos, que mantém o orçamento familiar atualizado, sob controle e sempre como uma prioridade;
  • Intenção de mais e ação de menos na hora de investir: Muita gente quer investir e faz questão de vangloriar-se desta intenção. São pessoas que estudam, participam de chats e fóruns sobre o assunto, adquirindo conhecimento profundo sobre alternativas de investimento, mas que não investem um único centavo sequer. Isso também acontece quando o assunto é empreendedorismo, com muita gente explicando conceitos importantes, até mesmo dando aula sobre o tema, mas sem nunca ter aberto um negócio ou mesmo liderado um projeto. Discurso afiado, muito blábláblá e pouca ação acabam com qualquer possibilidade de enriquecer; Simples assim.

Conclusão

Para alcançar qualquer objetivo na vida, é fundamental sair da mediocridade. É preciso fazer mais e diferente do que a maioria das pessoas. Nesse sentido, momentos de crise podem representar grandes oportunidades para quem busca se reinventar e arriscar.

De repente pode fazer sentido trocar o certo pelo duvidoso, mas um duvidoso positivo, capaz de te levar além do esperado, para o sucesso estrondoso. Um duvidoso capaz de mexer com você e despertar a ação em busca da prosperidade.

Para ser sublime, a vida em alguns momentos precisa ir além do meio termo. Para realizar seus sonhos e alcançar o topo você vai precisar “sair de cima muro” e adotar uma postura de quem sabe o que quer. E fazer alguma coisa. Agora. Boa sorte! Obrigado e até a próxima.

Foto “Wealth”, Shutterstock.

Ricardo Pereira
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários