É extremamente comum ver empreendedores iniciando uma startup no mercado digital onde o principal objetivo da empresa, por muito tempo, é levantar capital com investidores de risco.

Indo direto ao ponto: esse é o caminho errado, e o resultado mais provável é que você gaste horas intermináveis em apresentações e planilhas de Excel e não consiga levantar R$ 1,00 sequer. Não envergonhe-se se esse for seu caso, essa é realmente uma armadilha muito comum.

É difícil não iludir-se quando revistas e sites de notícias exaltam empresas que levantaram milhões para financiar seu crescimento, enquanto pouco é falado das muitas reuniões que não levaram a lugar nenhum. No inicio da empresa seu tempo é melhor investido em melhorias no produto e abordagem aos primeiros clientes.

Parta desse princípio: busque recursos quando for o momento de acelerar o crescimento da sua empresa, e não para descobrir o caminho do crescimento. Se você ainda não encontrou o modelo de negócios certo, um investidor e mais dinheiro não são as respostas para os seus problemas.

Além disso, não são todos os tipos de empresas que realmente precisam de investimento para crescer. Empresas com modelos de negócio inovadores e que não possuem barreiras tecnológicas (sites de compra coletiva e aplicativos para encontrar taxis) precisam desse investimento para ganhar market share com velocidade e proteger seu mercado contra concorrentes.

Empresas de alta tecnologia (desenvolvimento de equipamentos médicos) precisam de investimento porque o desenvolvimento de um produto demora anos até que ele possa entrar no mercado.

Antes de correr atrás de investidores, faça uma pergunta a si mesmo: posso crescer mais devagar e sustentar a operação da empresa com os rendimentos dela? Se a resposta for “Sim”, essa é a melhor opção.

Agora se a resposta for “Não” e sua empresa for daquelas que precisa de capital para crescer com velocidade, então vamos abordar abaixo algumas formas para conseguir investimento, e a hora certa de atacar cada uma delas.

Família e Amigos (Family & Friends)

Essa é a melhor fonte de capital quando sua empresa for apenas uma ideia. Busque pessoas próximas a você e nas quais confia, compartilhe a ideia, peça feedbacks e, se necessário, ajuda financeira. Tem vergonha de pedir ajuda aos amigos e família? Vergonha é um luxo que o empreendedor não pode ter.

E se você não conseguir convencer algum amigo a investir em você, suas chances com um investidor profissional são nulas.

Investidores Anjo

Agora as coisas ficaram sérias. Nessa fase você já deve ter em mãos um protótipo e alguns testes de mercado, e agora precisa de capital para transformar o protótipo em um produto plenamente comercializável, além de algumas portas abertas para facilitar a entrada no mercado.

E um investidor anjo pode ajudar nas duas tarefas. Para aumentar suas chances de conquistar esse investidor e para que a relação seja benéfica para a empresa, busque um anjo que seja expert no mercado alvo da sua empresa, e não apenas alguém com recursos financeiros. Smart Money é melhor do que apenas Money.

E lembre-se: o que você está vendendo ao investidor-anjo não é sua empresa, mas o futuro dela. Uma visão de algo que pode ou não se materializar, e você precisa de um plano mostrando como planeja alcançar essa visão para ter uma chance de sucesso. Tenha pronto um plano de negócios que conquiste a atenção dos anjos que quer ter ao seu lado.

Precisa de ajuda para construir um Business Plan? Leia esse ótimo post sobre como fazer um plano de negócios.

Aceleradoras

Se sua empresa já teve um investidor anjo, não é aconselhável que busque uma aceleradora. Isso porque o anjo já abocanhou uma fatia da empresa e as aceleradoras no Brasil costumam trabalhar com acordos em que ficam com 15% à 25% da empresa.

Assim, se você trabalhar com investidor anjo, mais aceleradora e depois fundos de Venture Capital, vai acabar sendo empregado de alguém em sua própria empresa.

Aceleradoras podem ajudar empresas que possuem uma tração inicial no mercado, porém estão com dificuldades de atingir uma massa crítica de usuários e faturamento.

Mas não pense que entrar num programa de aceleração será a solução dos seus problemas e uma garantia de sucesso. Entre numa aceleradora quando quiser trilhar o caminho mais rápido, não para descobrir o caminho a trilhar.

Fundos de Venture Capital

Se você chegou até o momento de se encontrar com Fundos de Venture Capital, parabéns. Sua empresa deve estar no caminho certo e crescendo de forma constante.

A hora certa de abordar um fundo é quando sua empresa estiver enfrentando um (ou todos) os desafios a seguir:

  • Como passar de 100 para 10.000 clientes?
  • Posso acelerar meu crescimento pela aquisição de um concorrente?
  • Quero melhorar muito nosso produto para fazer upselling para nossa grande base de clientes.

Um injeção maciça de capital pode proporcionar os recursos que uma empresa precisa para superar os obstáculos acima. A dica aqui é chegar o mais longe o possível com os próprios pés. Quanto mais resultado tiver para mostrar quando abordar um fundo, maior será seu poder de barganha e menor a fatia que precisará vender para levantar o capital que precisa.

Conclusão

O mais importante, como você deve ter percebido, é você! O empreendedor e sua equipe fazem toda a diferença, seja para tocar o negócio sozinhos, na apresentação da ideia ou na busca por apoio específico.

Se você tem uma empresa e quer fazer dela um sucesso, estude mais sobre as opções que apresentei aqui, mas faça isso garantindo que sua dedicação ao negócio é total e que seu plano de negócios faça sentido. Espero ter ajudado. Obrigado e até a próxima.

Foto “Investment concept”, Shutterstock.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários