Yalli diz: Qual seria o melhor investimento no momento, já que investir em fundos de renda fixa ou variavel pode ser uma má escolha?Yalli, primeiro obrigado pela visita e pelo comentário. Seu blog WebNatal é muito legal e pude tirar dicas preciosas sobre web design, que vão seguramente me ajudar aqui no blog. Sua pergunta é a pergunta do milhão! Investir precisa ser uma decisão baseada em três fatores: conhecimento, tempo do investimento (curto, médio ou longo prazo) e aversão ao risco (perfil do investidor). Cada pessoa tem, dentro de sua realidade, uma percepção do que são esses fatores e, com essa percepção, tomam suas decisões.

Sugiro que leia o artigo sobre risco e retorno, para que possa familiarizar-se com a idéia de que o investimento ideal para você, talvez não seja o ideal para outra pessoa. Como você mesmo disse, investir em renda fixa ou renda variável pode ser uma má escolha. Pode sim. E pode não ser. O importante é saber quais as características de cada tipo de investimento e então criar seu portfólio de maneira que sua expectativa de ganhos e de risco estejam traduzidas em números.

Quem não quer um retorno de 100% em um ano? Será que ele existe? Existe. Mas pra isso seria preciso que você estivesse disposto a correr muito risco, inclusive o risco de perder grande parte do investimento. No outro extremo, existem aplicações que rendem bem menos, no entanto são mais seguras, como por exemplo as Letras e(ou) Notas do Tesouro Direto. Então o melhor investimento não existe? Sim, ele existe e é aquele que você aceita como interessante dado seu plano e aversão ao risco. E como sei se ele se adequa ou que preciso e suas características de volatilidade? Conhecimento. E esse é o objetivo do blog Dinheirama.com.

A renda variável no longo prazo é um ótimo negócio e tende a ser melhor que qualquer outro tipo de investimento. Mas imprevistos podem acontecer. A renda fixa é segura mas rende pouco, especialmente com os juros em trajetória de queda. Que tal misturar os dois? E que tal se entre eles usarmos alguma opção intermediária, com risco moderado, como um fundo Multimercado? Essas perguntas têm resposta e é nelas que precisa se basear para investir.

Opções ruins de investimento existem em todas as categorias de aplicações e vou terminar com um exemplo: o que faria alguém comprar cotas em um fundo de ações Petrobras (de qualquer banco) ao invés de comprar as ações diretamente na Bolsa? Puro desconhecimento. E por essa falta de conhecimento, paga-se de 2% a 3% ao ano para o banco. É justo não é mesmo? As ações compradas, o risco e o retorno são os mesmos.

Espero ter colaborado e despertado a vontade de ir mais além no conhecimento destas opções de investimento. Use as categorias ao lado para navegar nos artigos e encontrará muita informação que pode agregar mais conhecimento de causa às suas decisões. Um abraço e boa semana.

Conrado Navarro
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários