Qual o seu sonho?Uma casa, um carro, aposentadoria em 20 anos? Imagine que R$ 20.000,00 à rentabilidade de 10% ao ano renderia, no final de 20 anos, o montante de R$ 134.550,00. Já seria uma grande rentabilidade, não é mesmo? Saiba que, atualmente, os grandes fundos de investimento em renda fixa dificilmente alcançam tal rentabilidade.

Agora imagine se este mesmo capital estivesse atrelado à variação do Índice Bovespa nos últimos 20 anos. O montante seria algo em torno de R$1.067.152,80. Isso mesmo, com crises, momentos eufóricos e de total pânico, a oscilação da bolsa de valores[bb] é bastante positiva quando o tempo e a disciplina contam a seu favor. No mercado financeiro, com disciplina e estudo você pode alcançar tais rentabilidades realizando seus sonhos de forma segura, sem deixar suas atividades profissionais total ou parcialmente.

No Brasil, o mercado financeiro ganhou as manchetes dos jornais e televisão somente na segunda metade desta década, apesar de já existir desde os primórdios do século passado. A principal bolsa de Valores do Brasil, a Bovespa, foi inaugurada em 1968, portanto há 40 anos. Desde então vem se destacando e hoje tem o posto de maior bolsa de valores da América latina.

Em outros países, como os Estados Unidos, suas principais bolsas, como a Bolsa de Nova York, já existem desde o início do século passado e se desenvolveram com maior rapidez em comparação com as bolsas dos países em desenvolvimento devido, principalmente, à estabilidade econômica e ao desenvolvimento industrial incipiente desde o início do século passado. Este amadurecimento do mercado nos países desenvolvidos atraiu muitos investidores, desde os pequenos, que compreendem a grandeza e importância deste mercado, até os grandes investidores[bb], gestores de grandes fundos de investimento.

Além da questão de amadurecimento dos mercados, podemos citar como uma importante diferença entre nosso mercado e o dos americanos a questão cultural. Passamos, durante décadas, por vários planos econômicos fracassados, tivemos contas confiscadas e inflação em níveis astronômicos. Tudo isso contribuiu para que os brasileiros criassem uma cultura de não aceitação do risco, zelando sempre pelo excesso de segurança em detrimento de boas rentabilidades.

Hoje em dia, a situação é bastante diferente da descrita acima: temos uma moeda forte, juros controlados e decrescentes e quase todos os setores em crescimento. A queda drástica nos ganhos na renda fixa tem levado muitas pessoas a se lançarem no mercado financeiro em busca de melhores rentabilidades, mesmo que para isso tenha que se expor a certo grau de risco.

Tal fato, porém, acabou por contribuir para o pré-conceito formado em relação ao mercado de capitais no país, de que o mercado é feito por jogadores endinheirados, pois, vários aventureiros se lançaram no mercado de ações[bb] sem o mínimo conhecimento e perderam suas batalhas.

Mas, então, existe uma lógica no mercado de ações?
Bem, porque a maioria dos investidores “jogaria” dezenas, centenas e até milhares em dinheiro a troco de uma porcentagem sobre esse capital se os bilhetes das loterias custam a partir de R$1,00 e prometem retornos de milhões de reais? É claro, existe uma lógica no mercado acionário. A possibilidade de se fazer investimentos de forma segura é real, caso contrário o mercado financeiro já não existiria mais, não seria sustentável.

Uma das formas de entendimento e compreensão do mercado de ações é através do estudo e análise dos gráficos das ações, a chamada Análise Técnica. Varias empresas hoje em dia se propõem a treinar pessoas ditas “comuns” a fazerem formas rentáveis e seguras de aplicação no mercado de ações.

A análise técnica pode ser aprendida por qualquer pessoa que se interesse pelo assunto e busque tranqüilidade no futuro. Médicos, advogados, dentistas, economistas, administradores, juízes e promotores, todos podem aprendê-la. É uma forma clara e objetiva de interpretar e investir no mercado e ter bons rendimentos. Com as ferramentas de gestão de risco, parte do estudo da análise técnica[bb], você pode limitar o risco de perda a um pequeno percentual de seu capital, em troca de um lucro possível teoricamente ilimitado.

Estudo e disciplina
Essas são as palavras que você deve ter em mente caso deseje se lançar nesta alternativa de investimento de forma segura. Engana-se quem pensa que o mercado financeiro é coisa para “profissionais”, gente que vive o dia a dia do mercado em tempo integral. Nos países desenvolvidos, as pessoas poupam investindo em empresas através das bolsas de valores.

Acompanhando uma vez por semana o desempenho de suas ações, você certamente estará apto a ter rendimentos bem maiores que os gerados pela renda fixa. E terá mais tempo para investir no que você realmente gosta, sua família, seus amigos, viagens e sonhos. A premissa básica para quem deseja investir no mercado é: faça seu dinheiro trabalhar para você.  O mercado financeiro é movido por pessoas que amam a vida e não gastariam suas saúdes a troco de dinheiro nenhum!

Promoção
Quer ganhar um exemplar do meu livro “Investindo com Inteligência” (Novatec)? Para participar do sorteio, deixe um comentário com nome e e-mail verdadeiros falando sobre sua visão a respeito do mercado de ações. Você já investe em ações? Investiria? Sim? Não? Por que? O sorteio será dia 05/04.

Crédito da foto para freedigitalphotos.net.

Avatar
Aviso: Os textos assinados e publicados no Dinheirama.com não representam necessariamente a opinião editorial do Blog. Asseguramos a qualquer pessoa, empresa ou associação que se sentir atacada o direito de utilizar o mesmo espaço para sua defesa. Também ressaltamos que toda e qualquer informação ou análise contida neste blog não se constitui em solicitação ou oferta de seu autores para compra ou venda de quaisquer títulos ou ativos financeiros, para realização de operações nos mercados de valores mobiliários, ou para a aplicação em quaisquer outros instrumentos e produtos financeiros. Através das informações, dos materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog, os autores não estão prestando recomendações quanto à sua rentabilidade, liquidez, adequação ou risco. As informações, os materiais técnicos e demais conteúdos existentes neste blog têm propósito exclusivamente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer outra natureza.

Comentários